Sem correntes

03 de Setembro de 2013 RJ Mendes Contos 621

Peço que, por favor, me ajude.
Não sou mais eu.
Não sinto mais nada.
Nunca fui assim.
Ou eu fui e não via?
Por que isso agora?
Cansei de ser assim, por favor.
Cadê você? Falam tanto de você.
Falaram que você poderia me ajudar, já falei algumas vezes com você.
Mas cadê você? Só você pode me segurar agora.
Estou cinza, não quero perder mais ninguém, quero passar por tudo isso logo.
Não me sinto mais vivo, estou queimado por dentro, queria acordar logo.
Novo e prescindível.
Tire-me daqui.
É a redenção?
Por favor, me livre dessas correntes que me prendem que me afundam que me matarão.
Deixe-me voar, por favor.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
"Minha humilde casinha" há 19 horas

Tenho na minha casa Quatro cadeiras e um colchão Uma mesa, e roupas pelo...
joaodasneves Poesias 14


Se Poema For Oração há 1 dia

Senhor, este poeta perdido vem Vos fazer um pedido: dai-me Vossa paz. ...
a_j_cardiais Poesias 45


"Bailei com a solidão" há 1 dia

"Bailei com a solidão" A beira do mar espero a Solidão E escuto ja o ...
joaodasneves Acrósticos 11


Perseverar Até o Fim – Parte 1 há 1 dia

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 13


Perseverar Até o Fim – Parte 2 há 1 dia

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 9


Separação há 2 dias

Pensei que separação fosse fácil... Que fosse só deixar seu amor, e ...
a_j_cardiais Poesias 40