A Escuridão da Noite - Parte VII

26 de Setembro de 2013 FKarvalho Contos 978

Uriel
(Destruição – Parte 7)

" We've come a long long way together
Through the hard times and the good
I have to celebrate you baby
I have to praise you like I should"

Praise You– FaTBoySlim
//abre.ai/sJ5

- alo! – respondeu Tarso!
-Tarso?
- Dani? Tudo bem?
- Retardado do meu irmã esta ai?
- não Dani, aconteceu alguma coisa?
- ele não responde no celular, ele foi ate o consultório do Dr. Lopes e ate agora nao voltou, já passa da meia noite. E na condição dele. Eu fico preocupada. Ele não fala direito comigo Tarso depois do que aconteceu.
- que isso Dani ele gosta muito de você ele ta passando por um momento difícil. A morte do pai Del mexeu muito com ele.
-Tarso eu também perdi a minha mãe no mesmo acidente.
- Longe de Mim dizer que a sua perda não teve a mesma intensidade que a dele, você ainda tem seu pai. No caso dele ele não tem ninguém. So você e nítido que ele não que te deixar mais preocuparda. Ele deve ta curtindo com Izak ou deve estar na casa d Maria Eduarda. Eu vo verificar e já te ligo. Se ele chegar me avisa!
- Ta bom! Me desculpa Tarso te encher a paciência!
- Para com isso Dani!! Se sabe que eu vo ta sempre por aqui quando vocçe precisar. Já te ligo!
- Okay Beijos!

Dani desligou o seu celular via em seu rosto preocupação, ela tinha medo que algo acontecesse cm Thiago. Ele era a única família que havia ficado. Se sentiu perdida, sozinha. Caminhou pelos corredores do apartamento. Passou pelo o primeiro espelho do corredor olhou para a janela e a rua estava sozinha. Continuou a segui o corredor quando passou pelo segundo espelho uma forma horripilante de sombras e sangue surgia do espelho. Dani gritou havia tomado o maior susto da sua vida; As torneiras do apartameto começaram a jorrar água escura, fétida. Dani correu para a porta da sala. Ela tinha que sair dali. A coisa que saia do espelho esparramava-se pelo chão. Seu coração disparava alucinadamente, era um sonho e ela queria acordar. Mas não conseguia essa era a sensação. Ela ajoelhou e começou a rezar, fechou os olhos. nunca foi uma pessoa de Fe, sentiu um calor percorre por todo o seu copor. O cheiro forte cada vez mais perto. Seu corpo tremulo luatava para não desfalecer, seu coração estava saindo pela boca. Ainda com os olhos fechados ele sentiu um forte clarão como se a noite tivesse virado dia. O pavor incapacitava de abrir os olhos.o odor forte havia sumido e sentiu uma mão em seu ombro

***
- Alo! Izak!!
- Fala Tarso, ta tudo bem?
- desculpa te ligar essa hora!
- O Thiago sumiu! Ele ta ai com você?
- Ai meu Deus, Não cara ele não ta aqui, cara vamos procurar ele, eu passo ai de carro e te pego, já ligo pra Maria Eduarda?
- liguei mas so chama!
- Eu passo ai e a gente vai na casa dela e da uma busca por ai. A Dani deve ta aflita
- Muito, Muito nervosa também, O Thiago também não tem consciência meu, ele deve ta em um daqueles momentos dele de pseudo reflexão na praia e esquece da vida!
- Nun sei cara, pelo que ele passou acho que deve ter acontecido alguma coisa e ele é oito ou oitenta. Já to indo te buscar.
- Beleza, te espero la em baixo!
- Já to Chegando
Izak pegou as chaves do carro e saiu. Quando dirigiu pensou em passar direto pela casa da Maria Eduarda. Era perto de sua casa é caminho para a casa do Tarso. Não pensou duas vezes seguiu pra la. Estacionou o carro desceu e tocou a campainha do sobrado de esquina de muro alaranjada. Passou alguns minutos e ninguém atendeu. Já era quase uma da manha. Isso não era hora de ir na casa de ninguém, pensava consigo Izak. Mas era necessário. Ele já sabia que o Thiago não estaria ali, mas talvez Maria Eduarda soubesse pra onde ele foi, ou onde estava. Insistiu de novo. Passou-se mais alguns minutos e nada. Deu as costas e já ia partindo para a casa do Tarso. Quando a Janela abriu seguindo de uma luz e uma voz grave.

– Quem é que ta ai?.
- Desculpe senhor por Incomodar, so Amigo da Maria Eduarda.
- QUEM!!?
-Izak, Senhor!
- e isso e horas rapaz de aparecer
- é uma situação de certa urgência!
- Urgência, Urgência e o meu...

o homen que nitidamente era o pai de Maria Eduarda Fechou a janela. Em em menos de um minuto ouvi-se o baralho de porta abrindo e em um pijama rosa e de pantufas de ursinho saia Maria Eduarda!
- Há, essa e seccional! A dona malvada “gotikinha” de pijama rosa e pantufa de ursinho! - Riu Izak
- o que foi Izak, preciso dormir pelo menos oitos horas por dia. O que se ta fazendo aqui, o que e de certa urgência!
- o Thiago sumiu, ele passou aqui hoje?
- como assim ele sumiu?
- o tarso me ligou dizendo que Dani tava procurando ele, ele foi no medico dele e depois disso ele sumiu.
- nossa cara eu to preocupada, da uns minutos que eu vo me trocar e a gente vai atraz dele.
- pó vai assim, de pijaminha rosa e pantufa de ursinho.
– Vai a merda Izak, já volto.
***
- Tarso pegou o elevador e desceu para esperar o Izak, na decida decidiu ligar para Dani. Para atualiaza-la e pra ver se ela tinha alguma novidade. O celular so chamava. Insistiu. Ligou de novo! E repetidamente, ate que alguém atendeu. Uma voz sinisitra e quase gutural atendeu. No momento ela não pode atender Tarso!

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Paz Celestial há menos de 1 hora

Paz na alma é muito mais Do que paz de mente... pois passa desta par...
kuryos Artigos 5


Poema Rosa Para um Dia de Sol há 14 horas

A Rosa Emília A Rosa que an...
a_j_cardiais Poesias 38


Poema Suado há 15 horas

Estou num deserto de inspiração... Nada passa por aqui... Nem ladrão. ...
a_j_cardiais Poesias 32


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 3 há 17 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 8


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 2 há 17 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 10


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 1 há 17 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 7