A ordem dos Contrários

09 de Outubro de 2013 FKarvalho Contos 1015

A tempestade acompanha a voz doce da sibila. A morte é anunciada. Há coragem no coração. Crava a vontade a ferro e fogo e a espada é o seu lagado. os corpos honrarias dos que caíram e assim é reverenciado. Ele e o rei do sangue. O senhor do metal. Sua lamina desafia os deuses antigos e os novos o respeitam. Ele sabe que um há uma luz guia para a justiça e ordem. O caos sopra em seus ouvidos e ele responde com clareza do cristal. Recusa o vicio e so dança quando é desafiado pelos males do mundo. Hoje, Sempre e o amém. És a ordem dos contrários

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
ETERNAL (rondó) há 11 horas

ETERNAL (rondó) Não o poeta, sim a poesia Em cada verso haveria- De ...
ricardoc Poesias 6


Sintomático há 16 horas

Divagando pela favela, penso nela olhando a aquarela do sol se pondo. ...
a_j_cardiais Sonetos 37


"Minha humilde casinha" há 2 dias

Tenho na minha casa Quatro cadeiras e um colchão Uma mesa, e roupas pelo...
joaodasneves Poesias 18


Se Poema For Oração há 3 dias

Senhor, este poeta perdido vem Vos fazer um pedido: dai-me Vossa paz. ...
a_j_cardiais Poesias 79


"Bailei com a solidão" há 3 dias

"Bailei com a solidão" A beira do mar espero a Solidão E escuto ja o ...
joaodasneves Acrósticos 16


Perseverar Até o Fim – Parte 1 há 3 dias

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 31