O menino adormecido

11 de Outubro de 2013 Adab Evans Contos 1122

As vezes ser egoísta e individualista é a melhor coisa. As pessoas não estão ao seu lado para te entender, estão para apontar os seus erros. Por isso que o egoísmo e individualismo são os melhores sentimentos.Tudo que faço é para que um dia eu realmente seja independente, a independência é o sentimento que mais preso, não qualquer independência, a independência absoluta!, mas não estou certo de que alcançarei a tão bem quista Independência, visto que deixei o menino fugir. Sempre soube deveras que continuar invisível era o que me devia apetecer. Aquele menino bobo, extremamente quieto e com medo do mundo, era mais forte do que sou hoje. Aquele menino sabia que o mundo aniquilava pessoas como eu, aquele menino era mais forte que todo o Mundo, pois envolto em sua redoma não se deixava atingir pelas irradiações maléficas dos que habitavam aquele Mundo, do qual não fazia questão de pertencer. Seu entorpecimento garantia-lhe viver paralelo a todo aquele mundo, sem ser incomodado, sem ser tolhido de viver seu mundinho particular, sem que eles despedaçassem seu pequeno mundo, donde só ele fora habitante e rei. Não sabia mas não era tão fraco quanto pensava, fraco sou no agora, icástico, iconicamente levado a apagar o reluzir fraco e iconoclasta daquele pequeno menino medroso esgueirado ao canto da parede com cara de quem não se importa com nada, com cara de quem o mundo é tudo que lhe avilta o âmago.
Sim! aquele menino era demasiadamente forte, a despeito do Mundo, sua força não era física, nem mental, era subjetiva, resignada, simplória e camuflada por baixo de toda a inocência, doçura e delicadeza daquele menino, o mundo não lhe importava, o mundo não existia, ele era o mundo de que precisava. Os ícones eram todos atingidos pela sua expressão de nada e se estilhaçavam, se desintegravam, pois aquele menino se recusava a refletir, se recusava a ser espelho, ele era um raio, atravessava a todos,ninguém conseguia capturar-lhe em espelho algum, ninguém conseguia torná-lo apenas mais um reflexo.
Mas aquele menino que por muito ocupou minhas carnes, esvaiu-se não sei para onde, não sei se raios morrem, mas ainda vivo a esperar o momento em que me atravesse e me quebre por inteiro, me transforme em cacos, me desfigure desta figura que me tornei e que o verdadeiro raio volte a habitar minhas carnes e me enrijeça o âmago e não volte mais a me dar com esse Mundo translúcido de seres icônicos...

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
" Amar é" há 8 horas

Amar e como voar, no mais azul dos céus. É sentir a sensaçao de estar n...
joaodasneves Poesias 6


PAU DE FITAS há 13 horas

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 5


PAU DE FITAS há 13 horas

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 5


Falta de Amor ao Próximo há 17 horas

A razão de viver é amar... Mas a maioria das pessoas vive o amor ao din...
a_j_cardiais Poesias 37


Amor a Deus x Amor ao Mundo há 18 horas

Nos dias do autor não havia automóveis como os luxuosos que existem em no...
kuryos Artigos 8


A Origem e a Razão de Ser de Tudo há 23 horas

Deus não criou todas as coisas para depois intentar formar uma Igreja. Ao...
kuryos Artigos 16