Uma certa vez eu vi numa propaganda uma fábrica que fabricava vidas. Essas vidas por suas vezes fabricavam seus próprios produtos, que chamavam de filhos. Esses produtos cresciam e na medida que cresciam, assistiam a mesma propaganda que eu. 

E sendo assim, fabricavam-se entre seus amigos, vizinhos e desconhecidos um produto chamado casamento e sendo assim, fabricavam também produtos derivados dessa fábrica e chamavam também estes de filhos. Então eu desliguei a televisão e essa propaganda nunca mais passou.