Eu vi aquele pobre homem, que depois de atravessar a noite, foi de encontro ao amanhecer, estava cansado, chorando. Seus olhos feridos, clamando por mais um momento de escuridão, pois tinha se apaixonado pela noite. Na praia daquele ultimo amanhecer, viu quebradas suas algemas, seu olhos eram calices de dor, que derramavam lagrimas cristalizadas em sementes, que da praia nasceram uma linda criança. Aquele meigo anjo, de face de amor, estendeu a mão ao home que gritava com saudades da noite, pois seu coração tanto tinha se apegado com a escuridão. Todos estavam boquiabertos, espantados pela cena bucólica daquele pobre ancião da noite, que queria guardar todos os pedaços do escuro dentro de sua propria alma. Então aquela singela criança, de sorrisos dourados, como um condutor de veredas celestes, tomou as mãos asperas daquele homem e o conduziu aos jardins mais longiquos de seu proprio coração. apontando para as inocentes abelhas que em castiçais de silencio, produziam o mel da vida, num toque suave em flores que passeavam pelos setes ventos da eternidade que vem. O pobre homem, tão humano e apaixonado pelo escuro, escreve na areia do tempo, em uma ampulheta derretida nas encostas de seu trajeto noturno, e olha para a criança que derrama mil pesos de essencia de sorrisos purificados pela inocencia, ele ve as delicadas maozinhas que apontam para o meio do jardim, onde um coração dourado, estava adormecido por causa das ondas sonoras daquela luz do esplendido amanhecer. O homem se apaixona pela luz, em intenso amor, escreve mil mistérios indecifráveis, e conta sete enigmas sem solução. despede a criança com um beijo de luz, e toma a sua propria alma, e a conduz em direção ao caminho do sol. cresceu o amor pela luz, como cresceu o sol até o auge do firmamento. De coração transformado, pelo novo amor, segue rumo em direção a luz, para nunca mais deixa-la, pois o amor, sempre conduz ao apego profundo. O homem que ama, se aperfeiçoa na vida, se completa no carater e se firma na jornada de sua própria existência. Aquele que caminha em direção a luz, um dia será ele mesmo a propria luz.

Clavio Juvenal Jacinto