Certa vez depois de conversar com Bela Flor, o jovem Hurick elucubrava sobre os momentos de razão que nela eram constantes, essa conduta fazia Hurick triste ficar, pois parecia negar o que sente e do seu coração duvidar. Logo, sabia Hurick que são normais às loucuras de que tem um coração que traz em si tanto sentimento e tanta paixão.

Bela Flor racionalizada acreditava que Hurick algumas vezes louco ficava, por isso tendia restitui-lhe a razão. Para Hurick o pra sempre nunca acabava e o amor era eterno por estar além da razão. O jovem dizia: - Ah Bela Flor amo-te tanto e isso me mantém, viver sem ti não consigo és tu a minha loucura, meu mais normal delírio, minha de vida, razão.

Mas, não acreditava Bela flor que alguém pudesse viver por outro, que fosse o amor eterno, infinito e louco e ainda mais que fosse amor um sentimento sem razão. Hurick sempre fora romântico, uns diziam que perdido no tempo, mas preferia ser um árcade a viver sem amor, sem sentimento. Às vezes Bela Flor lhe dizia: - vives Hurick, somente para ti! A vida é efêmera talvez nós não tenhamos tanto tempo assim.

Hurick perguntava como? Se antes de Bela Flor à vida era insignificante e por vezes parecia não existir, se a amava tanto que não conseguia viver tão somente por si. O seu amor por Bela Flor estava além da verdade, o que era fruto da sua sensibilidade, que o fazia sentir tudo e tão intensamente que às vezes era difícil controlar o que acontecia dentro de si.

Hurick sempre acreditou no amor, e se entristecia quando Bela Flor dizia-lhe para ser racional e que tudo sempre passava um dia que até era normal, esta contradição em relação à durabilidade do amor o fazia chorar, pois se perguntava como seria sua vida sem Bela Flor pra amar, sabia ele que sua vida se resumiria a nada e que mesmo apesar das tristes palavras, Bela Flor assim se comportava apenas por de Hurick o amor não poder mensurar.

E mesmo com todas as probabilidades de um amor acabar, Hurick se esforçava pra ter sua amada sempre perto, sabendo que tudo é possível, mesmo que só ele possa acreditar.