Até o último momento

27 de Julho de 2011 Monise Gabriely Contos 914

Depois de um dia estressante, Jay apenas queria ir para casa descansar. Não parou de trabalhar desde que chegou ao trabalho. Sua vida amorosa não era as melhores. Estava quase chegando ao fim. Quando chegou em casa, Adriana estava a sua espera. Preparou um jantar romântico. Estava tudo escuro, apenas as velas iluminavam a casa. Ela sorriu para Jay, mas ele não o retribuiu.
- Feliz aniversário! – sua voz estava fraca – Fiz esse jantar para nós dois.
- Obrigado, Adriana! – Ele sorriu rapidamente - Desculpa, mas eu preciso descansar. Não parei de trabalhar um minuto.
- Tudo bem! Quer companhia, amor? – Ela tentou parecer que estava tudo bem, mas não estava.
- Não precisa! – Sua voz estava rígida.
Jay não a chamava mais de amor. Não dava atenção como antes. Adriana não estava mais suportando isso. Mas não queria ficar sem o Jay. Precisava lutar por ele. Voltar à vida que era antes. Adriana foi ao quarto dar um beijo de boa noite. Jay já estava dormindo. Adriana o beijou e deitou ao seu lado. Ficou dando-lhe carinho, já que acordado ele sempre recusava. Adriana acordou cedo só para fazer um café da manhã para o Jay. Estava desesperada. Não queria o perder. Mas sabia que o seu namoro já estava no fim. O fim dos momentos lindos que tiveram. Mas uma vez deitou ao teu lado. Suas lagrimas caiam por sua face. Jay acordou assustado. Tentou disfarçar, mas não era seu forte.
- Amor, está tudo bem? – Pergunta Adriana.
- Sim! Foi apenas um sonho... Um pesadelo!
- Quer contar o que houve?
- Não... Não se preocupe. – Em seguida a beijou.
Sua voz estava mais doce. Não parecia o mesmo Jay do dia anterior. Foi tomar o café da manhã com Adriana pela primeira vez depois de tanto tempo. Adriana estava feliz, mas questionava o porquê da mudança de comportamento assim de um dia para o outro. Ela estava feliz. Isso que importava. Jay estava quieto. Pensativo. De repente levantou-se e foi ao quarto. Quando saiu estava pronto para ir trabalhar.
- Vai trabalhar, meu am... – Antes que Adriana pudesse terminar Jay já tinha saído.
Jay estava inquieto. Algo estava o perturbando. Será o pesadelo que o deixou assustado? Ninguém sabia. Depois de horas inquieto, calado, Jay levantou-se. Parecia que estava decidido a fazer algo. Rapidamente saiu do escritório.
- Não volto mais para trabalhar hoje. Desmarque todas as reuniões e não ligue para mim.
- Sr. Jay, Temos uma reunião muito importante hoje.
- Nada é mais importante do que estou prestes a fazer.
Jay estava feliz. Realmente tomou uma decisão. Passou por uma floricultura e comprou um bouquet de rosas vermelhas. Com um sorriso no rosto, escreveu um cartão. Jay hesitou por um minuto, depois ligou para Adriana.
- Oi, Adriana! Você pode me encontrar daqui a meia hora?
- Claro, estou indo. Posso saber o que você quer comigo? – Sua voz estava tremula.
- Tomei uma decisão sobre nosso relacionamento. Do jeito que está não podemos continuar.
Jay saiu da floricultura. Adriana já estava do outro lado da rua a sua espera. Jay sorriu para ela. Sem olhar para o carro que estava em alta velocidade em sua direção, continua a sorrir para Adriana.
- Jay... – Gritou Adriana enquanto corria em sua direção.
Não houve tempo para dizer o que tanto esperava. As rosas estavam todas espedaçadas no chão. Em sua mão estava o cartão que tanto queria entregar.
“Essa noite tive um sonho. Melhor dizer... Um pesadelo. E nesse pesadelo eu iria morrer quando estava prestes a dizer que te amo. Resolvi tomar uma decisão. Fui bobo, mas agora estou aqui para dizer o quanto te amo e o quanto te quero. Quero estar ao teu lado até o último momento da minha vida. Olhar pra você e dizer te amo.”

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Amor de Primavera há 12 horas

Morena, quando tu flores, o verbo em ti, primavera, seguirá o caminho do...
a_j_cardiais Poesias 34


CICATRIZES há 17 horas

CICATRIZES Não se vive essa vida impunemente... Todo mundo, mais dia m...
ricardoc Sonetos 5


" Amar é" há 1 dia

Amar e como voar, no mais azul dos céus. É sentir a sensaçao de estar n...
joaodasneves Poesias 11


PAU DE FITAS há 1 dia

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 8


Falta de Amor ao Próximo há 2 dias

A razão de viver é amar... Mas a maioria das pessoas vive o amor ao din...
a_j_cardiais Poesias 56


Amor a Deus x Amor ao Mundo há 2 dias

Nos dias do autor não havia automóveis como os luxuosos que existem em no...
kuryos Artigos 13