Tudo o
que queria era voltar para casa. Passar horas sentada em frente à janela do
quarto no segundo piso da casa, lendo um livro que provavelmente já lera
milhares de vezes, cujas páginas já estão marcadas com gotas que caiam de uma
sempre companheira xícara de café. Queria ir para a escola ver por uma ultima
vez, amigos com quem sempre saía aos sábados. Gostaria de poder ligar para o
garoto do qual nunca desviava os olhos nas manhas de domingo, ah sim, o garoto
que atendia na pequena lanchonete a duas quadras de minha casa. Queria passar,
nem que apenas um minuto, no balanço improvisado com uma tábua envernizada que
pendia do carvalho nos fundos da residência. Queria ouvir mais uma vez as
broncas dos pais quando os professores ligavam para reclamar de suas notas
ruins e ouvir também os elogios quando conseguia passar naquela matéria complicada.
Queria voltar no passado, um ano, um mês, uma semana, um dia, uma hora, um
minuto, o que fosse. Queria acima de tudo, voltar a viver.