Um pequeno barquinho e um pescador no meio do mar e buscar o sustento de casa. Os ventos estão uivantes a popa aquela noite, ele sabia que teria que deixar mais do que levou para poder voltar para casa vivo. Sua vida corria perigo.

 Seu barco já não suportava mais a força colossal do mar, mas não, do barco não saiu.

O dia amanheceu e o barco está intacto, o pescador em casa deitado em sua rede, com o cheiro de peixe... Tudo ficou branco em sua frente, apenas pode sentir que estava deitado em uma mesa de pedra e já não conseguia enxergar. Gritou por socorro até que abriu os olhos, um rosto de uma mulher em sua frente.
Os olhos eram grandes, foi o ultimo sorriso que ele viu.
Até voltar para um barquinho no meio do mar em busca do sustento de casa.