Um Natal Diferente

25 de Dezembro de 2013 EMILIO SANCHEZ Contos 1197

Em uma noite muito escura ,Ricardo,um pequeno trabalhador de Ohio,não sabia exatamente o que era o espírito de Natal,só falava para o pessoal que detestava-o com todas as forças.Ele trabalhava duro,e,morou sozinho a vida inteira,detestava os pais porque o tratavam feito um escravo mal sabia o que era o verdadeiro amor para eles "ele era a fonte de riqueza".Então um menino que passava pela rua de Ohio,viu aquele homem triste e desamparado falou:-Feliz Natal!-Para de falar de Natal,é a pior bosta que existe!É comércio puro!-Então você não deve acreditar em Deus?-Acreditar eu acredito,mas,o motivo pela qual estou aqui é completamente diferente.Estou aqui para lhe dar um presente de Natal!-Desde quando eu preciso de presente de Natal?Vai se danar menino.-Vou lhe dar assim mesmo.Disse o menino.O menino apenas deu um abraço apertado e disse:-Sei que não é muito para o senhor,mas,é o bastante para confortá-lo.Cuide bem e um feliz ano novo.A partir dali ,aquele homem vazio por dentro e por fora, começou a ver que o Natal não é consumismo mas sim,por coisas simples que Deus nos ensinou a ter.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Lembra? há 2 dias

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 13


Principio há 2 dias

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 10


Viandar há 2 dias

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 10


Fluxo do tempo. há 2 dias

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 11


Sou há 2 dias

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 10


Ame...! há 2 dias

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 8