Depositei
a adaga ensanguentada em cima daquela mesa qualquer e me direcionei a figura
pequena que me olhava com pavor sentada no chão. Aproximei-me lentamente dela,
quando toquei seu queixo pude senti-la tremer.


- Calma pequena. Vou acabar com isso pra você
- utilizando um pouco mais de força que o normal pude sentir o seu pescoço quebra-se
em minhas mãos. Seu corpo parara de tremer e o deixei cair de forma oca no
chão. Os orbes de seus olhos agora imparciais refletiam o vazio daquele cômodo
que um dia habitou alguma família feliz.