Em uma cidade do interior nordestino do Brasil, uma pequena cidade, morava um menino que tinha o nome de Sirilo, Sirilo apesar da idade de menino, já morava sozinho, de poucos amigos, Sirilo não era o mais belo dos meninos. Sua cidade muito pequena, todos conheciam a todos, inclusive aquela morena, cujo seu nome é Serena, uma bela menina pequena, tão meiga tão sorridente, era feliz e era carente.
Sirilo um belo dia, conheceu Serena. Os dois sentaram praça, Serena cheia de sua graça, encantou Sirilo ali naquela praça, e ele sem graça, se levantou correndo, saiu dizendo que tinha sido um prazer conhece-la, e foi embora. Sirilo estava feliz, foi dormir sem chorar, e por isso acordou triste.
No outro dia, Sirilo triste andava na praça, tomava água e a sede não passava. Não demora muito Serena chega na praça, encontra Sirilo, que ficou sem graça, tentou ir embora logo, mas Serena o segurou, e lhe falou, que pelo pouco que conversou, por ele se apaixonou, ele se assustou, ela o segurou e o beijou, o olho dele fechou e se entregou. Feliz da vida, Sirilo ficou, mais uma vez foi dormir e com sede ficou.
Mas um dia passou, Sirilo mais um dia com sede ficou. Hoje Sirilo tomou uma decisão, e para praça foi firme com sua intenção, não demorou Serena chegou, Sirilo com ela brigou, Serena sem nada entender chorou, e Sirilo, foi embora chorando, e sede não passou.
Sirilo acorda sem sede, mas no coração uma dor ele sente, e logo lembra da Serena. Sirilo não sabe o que fazer, Sirilo está apaixonado. Sirilo resolve não sair de sua casa, cada vez que lembra de Serena, ele chora, cada vez ele chora, um balde de lagrima ele enche, para ele não passar mais sede, pois Sirilo só matava sua sede com suas lagrimas. Ele resolveu guardar muitos litros de lagrimas para poder ficar para sempre com Serena, sem nunca mais chorar.
Um ano se passou, Sirilo toda aquela lagrima juntou, era o suficiente para viver a vida inteira feliz, sem precisar chorar. Sirilo foi contente procurar Serena, foi a praça ver se a encontrava, e ela não chegava, Sirilo preocupado, por ela perguntava, e ninguém mais a viu, durante um ano ela sumiu. Onde está Serena? Sirilo foi até a casa dela, e viu todos os familiares de Serena lá, Sirilo preocupado perguntou por Serena, o pai de Serena apontou para a cama, onde estava ela deitada, desacordada, Sirilo não acreditava na cena que via. Os pais de Serena choravam e diziam, que ela estava assim desde quando Sirilo brigou com ela, o medico que ali estava disse que dessa noite ela não passava. Sirilo ficou desesperado, ajoelhou ao lado de Serena e a abraçou, Sirilo chorou e sua cabeça deitou, sobre ela ele chorou, de seu olho uma lagrima vazou, e a lagrima na boca de Serena encostou, e logo ela acordou, abriu o olho, viu o Sirilo e já o abraçou.
Serena e Sirilo, felizes para sempre ficaram, sede ele nunca mais passou e doente ela nunca mais ficou.