Longe de casa.

“An old man by a seashore at the end of da. Gazes the horizon with seawinds in his face. Tempest-tossed island seasons all the same. Anchorage unpainted and a ship without a name”

The Islander - Nightwish

Ele desceu do ônibus onde estava por mais de doze horas. Havia chegado em seu destino. Estava frio. E ali estava longe de tudo que um dia poderia ter chamado de lar. Desceu do ônibus e andou alguns passos observando em volta. As luzes que oscilavam.  A rodoviária estava praticamente vazia. apenas o vigia noturno fazia sua ronda.. Camimhou alguns passos e ficou observando o pátio. Buscando aparentemente algun tipo de coragem. Nas memórias a saudade de algo que já estava longe a muito tempo. Algo que fazia parte do que havia se tornando. Sentia um peso em seu peito. Um aperto. Uma leve asfixia. Que fazia a respiração trepidar. O forçando a caminhar em direção do centro do estacionamento. O vigia o acompanhava com os olhos. E voltava para sua televisão

O homem respirou fundo três vezes. buscando algun tipo de clareza. olhou para estrelas. Começou a sibilar algumas palavras.e cada vez que proferia a luz das estrelas começavam a ficar mais perto. 

O vigia devia esta pensando “mais um louco”  via apenas um homen em meio ao pátio dizendo algumas palavras sem sentido e olhando para céu. e continuo assisitindo sua tv. no mesmo instante que  voltava para seu programa. Uma forte luz surgiu e encobria o homen que estava no pátio. Que seguiu de um estrondo agudo e intenso. O barulho fez que o vigia olha-se rápidamente