Um estranho dia de semana

11 de Maio de 2014 robson aguiar Contos 1221

Menino tranquilo, criado pelo avô e pela avó, era o primogênito de uma família de sete, seus pais o tinham só no domingo, estudava fora e por isto morava com os avós. Seu avô, homem simples, trabalhador, era calado, menos quando estava trabalhando ou negociando com os fornecedores (era comerciante em  uma feira livre), ali ele se transformava e era um homem feliz, integro. A sua avó, sempre foi muito rígida nas suas decisões, sabia como decidir e como fazer as pessoas entenderem seus propósitos, simples, objetiva, de fácil compreensão quando se dirigia a alguém, dona de casa,cozinhava como ninguém. Crescera cercado de amor, de atenção e carinho, era estudioso, sonhava em se formar e proporcionar a seus pais e avós uma vida melhor, fazia planos com as melhores intenções e sabia que um dia iria conseguir o que almejava. Seu pai,era responsável pela educação de sete filhos, viviam sem se apertar financeiramente, porém viviam com o pouco dinheiro que tinham, tudo era no limite, todavia junto com sua mulher, dona de casa, que dedicava todo o seu tempo  aos filhos, esquecendo na maioria das vezes que existia outro mundo,alem das portas e janelas de sua casa, vivia para a família. Anos mais tarde iriam todos dividirem  um momento único em suas vidas. Seu avô passara um tempo com uma dor que o incomodava, foi ao médico e descobriu que tinha uma hérnia, poderia até conviver com ela, porém era coisa simples, segundo seu médico, não teria porque não operar, sua esposa o apoiou na decisão de tirá-la, seus filhos o apoiaram também na decisão. Chegara o dia D, se preparou pela manhã e seguiu para o hospital, era um dia de semana, normalmente fechava seu comércio e aquele era o dia ideal, não  queria que ninguém o acompanha-se, o que foi, mesmo sobre protestos acatado. O menino estava com os seus pais neste dia, almoçava com eles na hora em que a cirurgia era realizada, todos apreensivos por noticias, comiam, porém parecia que não estavam ali, um silencio reinava até  que o telefone tocou, sua mãe se levantou e foi atender o telefone, boas notícias, a cirurgia havia sido um sucesso,quem ligara era uma sobrinha, enfermeira que participara da cirurgia. O momento de apreensão se transformara em momento de alegria, descontração, todos riam e se abraçavam comemorando o acontecido.Sua mãe se dirigia para fazer uma ligação para a sua avó, que aguardava notícias. No caminho, o telefone tocou novamente, ela atendeu e foi em questão de minutos do céu ao inferno,seu pai acabara de falecer, tivera uma parada cardíaca na  UTI., o choro tomou conta de todos, a tristeza pairava no ar e o menino começava a aprender, naquele momento, o que representava a perda de um ente querido.



Leia também
Para quem é a Mudança da Lei de Moisés há menos de 1 hora

O apóstolo Paulo afirma que o crente não está sob a lei e sim sob a gr...
kuryos Mensagens 5


Cultivando Observações - 1 há 2 horas

Eu vivia arrastando silêncios, pelas plataformas da vida. Agora dispenso...
a_j_cardiais Poesias 17


"É tarde demais" há 4 horas

Não há mais tempo Não adianta agora chorar É tarde demais. É tarde ...
joaodasneves Poesias 8


"Amada Amante"... há 4 horas

A primavera chegou, sai como sempre o dia estava bonito, o sol brilha...
joaodasneves Prosa Poética 4


"Eu queria" há 4 horas

Eu queria tanto beijar a tua boca e abraçar-te intensamente. Eu queria t...
joaodasneves Pensamentos 3


"Sabor dos teus beijos" há 4 horas

Parece que foi ontem vi-te passar naquela estrada Cruzei contigo um simpl...
joaodasneves Poesias 5