Descobertas Adolescentes-Cap-25:

25 de Maio de 2014 guilherme Contos 1184

Parte 1:

Os homens encapuzados davam tiro para o alto, enquanto alguns deles saiam roubando os pertences das pessoas.

Leo: passem tudo, ou atiro em vocês.

Embora nervoso Leo se sai bem. Ricardo e Gabriela estavam com medo e entregou tudo o que tinha.

Gabriela: se acalma, não vão cometer nenhuma besteira

Leo olhou para Gabriela e reconheceu Ricardo ao seu lado, Leo parou o olhando.

RESIDENCIA FAMILIA BRANDÃO

Daniel já haviam chegado, Rafael e Igor contaram tudo sobre o que aconteceu.

Daniel: eu não acredito que esse cara fez isso, ele tem que ser preso.

Rafael: mais o problema e que a mãe de Igor, tem medo de prestar queixa. ´

Daniel: mas isso não pode continuar acontecendo, o que posso fazer para ajudar?

Rafael: você tem um amigo delegado, fale com ele.

Daniel: melhor, vocês vem comigo, vocês estavam lá na hora, sabem exatamente o que aconteceu.

Igor: claro, claro, vamos agora mesmo, não quero aquele desgraçado solto.

AVIÃO

Guilherme e Bruno estavam sentados juntos, Guilherme estava com medo, e demonstrava isso.

Bruno: eii, calma, estou aqui ao seu lado, não precisa ter medo, avião é o meio de transporte mais seguro, e eu te protejo.

Guilherme: hum, mas cara se cair, o que tu pode fazer?

Bruno:kkkkkk... não vai cair.

O avião balançou um pouco. A aeromoça anunciou que passaram por um turbulência, Guilherme se desesperou.

Guilherme: ai meu deus, nos vamos cair.

Bruno: kkkkk... para com isso, vem vou te tranquilizar, vá no banheiro que daqui a pouco to indo.

Guilherme: esta louco, meus pais e tua avo estão aqui.

Bruno: estão dormindo, vai logo.

Guilherme sorriu e foi. Em alguns minutos Bruno seguiu, tomando cuidado para ninguém o ver. O lugar era apertado, Bruno colocou Guilherme em cima da pia e começou a beija-lo, retirou toda a roupa dele e do rapaz, a adrenalina deixou Guilherme muito excitado, sua rola já babava, Bruno abaixou e colocou o pau de Guilherme na boca.

Guilherme: “ahhhhh” “ que delicia”

Bruno subia e descia no pau de Guilherme que gemia baixo para ninguém ouvir, saia quase com sussurro,o que deixava Bruno com bastante tesão, que se masturbava ao mesmo tempo em que chupava Guilherme. Bruno colocava o dedo na boca, chupava e voltava ao pau de Guilherme, com os dedos começou a massagear o cu de Guilherme que piscava para Bruno, Bruno enfiou um dedo e fazia o movimento de vai e vem e continuava chupando Guilherme que a essa altura já eloqüência.

Guilherme: para, para se não vou gozar, minha vez de te chupar agora.

Bruno ficou de pé, e Guilherme se abaixou e abocanhou com vontade o mastro de Bruno, que começou a fuder a boca do garoto, Guilherme lambia a cabeça do pau de Bruno e descia pelo corpo ate o saco depiladinho. Bruno se contorceu de prazer.

Bruno: aiii Luke, que delicia, continua vai.

E Guilherme obedeceu, continuou a chupar e a chupar por uns 5 minutos. Voltaram a se beijar, Bruno levantou uma perna de Guilherme enquanto o beijava e enfiava o dedo.

Guilherme: adoro seus dedos gulosos.

Guilherme ficou de costas, bruno colocou a camisinha e forçou a entrada, casa cm de pica que entrava em Guilherme o rapaz sentia mais prazer, ate que entrou todo pois o avião tremeu.

Guilherme: ahhh, vai meu amor

Bruno começou a comer Guilherme em pe, começou um acelerado vai e vem e Guilherme se masturbava com a cabeça apoiada no ombro de seu amado “ ahhhh” “ shiii”

Ambos tremiam de intenso prazer

Bruno: eu vou gozar.

Guilherme adiantou a punheta estava perto de gozar também quando Bruno deu um forte urro, um urro gostoso de macho e de gozo que deixou Guilherme com tanto tesão, que jorrou litros de gala por todo o chão. Bruno descansou deixando o pau dentro de Guilherme. Ambos estavam ofegantes, deram um longo beijo, tomaram fôlego se vestiram e saíram do banheiro, um depois do outro.

RESIDENCIA FAMILIA ROCHA

Pedro estava com Breno, tinha chamado ele.

Breno: o que foi? Que brincar mais?

Pedro: vontade eu estou, mas não é, quero que você faça um favor para mim.

Breno: claro, você me ajudou a se livrar de Amanda, faço tudo o que você me pedir.

Pedro: lembra do Leo? Aquele que pegou eu e você?

Breno: o amigo do Ricardo, lembro sim, por que?

Pedro: quero que você vigie ele para mim, a primeira coisa estranha que você ver você me falar, esta bem?

Breno: certo, vou agora mesmo.

Pedro: espera

Breno: que foi?

Pedro chegou ate Breno e deu um beijo bruto e deu uma pegada no pau de Breno.

Breno: uii

Pedro: quando executar a missão direitinho, eu te pago o resto.

Pedro deu um sorriso sacana.

Pedro: Gostoso.

Breno sorriu e saiu.

RESIDENCIA DE MAICON

Fernando e Maicon estavam a sos dentro do quarto. Deitados na cama, Fernando estava com a cabeça apoiada no peito de maicon que estava sem camisa.

Fernando: esta ta bom aqui.

Maicon: aham

Fernando ficou em cima de Maicon e começou a beija-lo e desceu para o peitoral e barriga e começou a beijar e a chupar, desceu mais e foi retirando a bermuda, e retirou a cueca, o pau de Maicon estava duro, era branquinho e tinha uma cabeça bem vermelha, Fernando começou a masturbá-lo, quando ia colocar na boca. Maicon o parou.

Maicon: não, não estou pronto.

Fernando esfriou. E ficou meio emburrado.

Fernando: esta bem.

E voltou a deitar na cama, mas dessa vez apoiou a cabeça no travesseiro.

BANCO

Algumas pessoas se recusavam a passar as coisas, enquanto o outros pegavam o dinheiro do banco.

Leo: vamos, passem tudo.

Alguns ainda resistiram e Leo pegou uma mulher de refém, e apontou a arma para a cabeça dela.

Leo: passem, ou ela morrer

Parte 2:

Ricardo: ei calma rapaz, não faça isso.

Leo olhou para Ricardo e se recusou a tentar algo, mas pensou o que estava em jogo e ainda segurando a mulher apontou para Ricardo.

Leo: o que você vai fazer? Quer bancar o herói é?

Gabirela: Ei rapaz, não piore as coisas, não revide.

Gabriela falava para Ricardo. Que voltou a ficar calado.

GOIÁS

Após 1h e 40 min de vôo, o avião já havia pousado em Goiânia, e Bruno, Guilherme e seus acompanhantes já havia chegado em casa.

Guilherme: então é aqui?

Bruno: é, vamos ficar aqui, na casa de meus tios, por um tempo. Depois irei para Belo Horizonte e você voltara para Bahia.

Entraram na casa, os pais de Guilherme ficaram conversando na sala, enquanto os garotos tratou de ir arrumar as coisas.

Guilherme: onde irei dormir?

Bruno: comigo claro.

Guilherme: serio?

Bruno: sim.

Se beijaram no quarto a sos.

BANCO

Ricardo não tinha entregado o celular e resolveu ligar para a policia.

Gabirela: não é muito arriscado, me de eu ligo.

Ricardo: não, você pode se machucar, deixe comigo.

Gabriela: eu sou mais velha que você,,se acontecer algo comigo é mais adequado.

Gabriela puxou o celular da mão de Ricardo, Léo percebeu e o reflexo o fez atirar

Ricardo: cuidado.

Ricardo empurrou Gabriela e a bala o atingiu de raspão, Gabriela conseguiu ligar para a policia. Leo embranqueceu quando viu que tinha atirado em seu melhor amigo. A policia chegou, e ele se desesperou, não sabia se ajudava Ricardo ou fugia, Gabriela auxiliava Ricardo então resolveu fugir.

Leo: vamos embora.

A policia chegou e começou um tiroteio, uns dos que estavam com Leo foi atingido na perna e ficaram para trás, Leo conseguiu entrar no carro e fugiu.

DELEGACIA

Rafael, Igor e Daniel chegaram a delegacia e contou o ocorrido.

Delegado: vamos para lá agora.

Entram na viatura e foram em direção a casa de Meire.

BANCO

Gabriela carregou Ricardo que estava ferido no braço e levou para a viatura, em seguida foram para o Hospital, Gabriela seguiu e ficou esperando, ate o medico vim falar com ela.

Medico: ele vai ficar bem, a bala pegou de raspão.

Gabirela: posso vê-lo?

Medico: sim, mas ele esta dormindo

Gabriela entrou no quarto e ficou o olhando dormir, não tinha percebido mais Ricardo era lindo, e corajoso. Gabriela chegou perto dele e alisou o rosto de Ricardo.

Gabriela: obrigado, por me salvar.

Ricardo despertou e Gabriela retirou a mão do rosto dele.

Gabriela: você me salvou, obrigado.

Ricardo: de nada, mas você é teimosa, eu disse que eu ligaria.

Gabriela: é né, desculpa, se fosse eu você não estaria baleado.

Ricardo: não foi nada, você quis evitar que o pior acontece-se talvez seria pior se eu ligasse.

Ricardo ficou olhando para Gabriela.

RESIDENÇAI DE DEISE

Deise e Carol estavam sentadas uma de frente para outra.

Carol: como é ser professora?

Deise: bem, é difícil, as vezes se apaixonamos por alunos e não podemos ter casos com ele.

Carol: você já passou por isso?

Deise: uma vez só, mas resistir, só que agora não consigo mais.

Deise aproximou-se de Carol e a beijou, Carol se deitou no sofá e retribuiu o beijo.

Parte 3:

Carol estava deitada no sofá enquanto Deise estava deitada em cima dela, ambas se beijavam carinhosamente os seios de Deise pressionada contra os de Carol que já estava molhada. O beijo ia se esquentando entre as duas mulheres, Carol escorria a mão pelo cabelo negro de Deise.

Deise: você realmente quer?

Carol: sim

Deise pegou Carol e levou para o quarto e continuou a beijá-la e a deitou-a na cama e continuou a beijá-la, foi retirando a próprio vestido ficando só de calcinha e sutiã, Carol encheu as mãos apalpando os grandes seios de Deise que estava ta bem já toda molhadinha, Deise se deitou ao lado de Carol e retirou a roupa da menina, Carol subiu em cima de Deise e retirou o sutiã da professora e levou a boca aos mamilos e começou a chupar.

Deise: ahh que delicia, quanto tempo venho te desejando Carol.

Carol continuou a chupar enquanto Deise apalpava os seios da garota. Carol foi descendo mais um pouco e beijando a barriga, depois arrancou a Calçinha branca de Deise revelando uma buceta bem depiladinha. Carol colocou a língua sentindo o cheiro que emanava dali o que a deixava maluca de excitação. Começou a chupar a buceta de Deise.

Deise: ahhhh, oieeee, ahhh.

Deise chegar se contorcia de tanto prazer, ela segurava a cabeça de Carol pressionado contra seu clitóris e Carol lambia tudo deixando Deise ainda mais molhada. Carol chupava e olhava para Deise se contorcendo de prazer.

Deise: vem me deixa lamber você também.

Carol se deitou e Deise ficou por cima dela e começou a beijar todo o corpo enquanto massageava os seios de Carol. Deise desceu e deu umas tapinhas na xana de Carol que adorou e em seguida começou a lamber, sugava tudo profissionalmente, Carol nunca sentira nada igual.

Carol: ahhh, ahhh, ahhh, ahh.

A menina revirava os olhos de desejo e excitação. Depois de um tempo Carol colocou Deise deitada de perna aberta e voltou a chupar e enfiava um dedo. Deise enlouqueceu.

Deise: ahhhhh, Carol, ahhhh

Com a outra mão Carol esfregava na própria vagina e dava o dedo para Deise chupar e continuava a enfiar o dedo e enfiava e Deise gritava de excitação junto com Carol que se masturbava junto o quarto se inundou de gemidos suaves e femininos que eram musicas para as garotas. Deise mordia o travesseiro estava prestes a gozar e carol também.

Deise e Carl: ahhhhhh, ahhhhh.

Gozaram juntas, Carol levou os dedos na boca de Deise e em seguida se beijaram, e se jogaram na cama.

RESIDENCIA FAMILIA BRATHO

O carro de Matoquente parou na porta da casa de Léo, o levando.

Matoquente: você foi muito bem léo, mas vêm mais testes por ai que vai exigir que você tenha sangue frio.

Léo: depois disso aqui mermão, faço qualquer coisa.

Matoquente: é bom mesmo, porque agora não tem mais volta.

Léo: nem quero sair.

Matoquente: você esta se tornando um ótimo servo, quem sabe se torna meu novo braço direito.

Leo pegou a mala de dinheiro do roubo do banco e saiu do carro. Atrás do poste do outro lado da rua Breno observava tudo.

Breno: mas aquele ali é o Matoquente, o que será que ele esta fazendo com o Léo? Tenho que ver o Pedro rapidamente.

RESIDENCIA DE MAICON

Fernando havia saído já e Maicon ficou sozinho pegou o celular e discou um numero.

Maicon: oi Theo, sou eu o Maicon.

Theo: oi, por que ta me ligando? Aconteceu algo com Fernando?

Maicon: não, não aconteceu nada, estou ligando para sairmos, irmos à sorveteria.

Theo: você esta me chamando para sair?

Parte 4:

Maicon: sim, como amigo lógico, só para conhecer melhor já que você é o melhor amigo de meu namorado, sabe muitas coisas sobre ele, e quero agradá-lo sempre.

Theo: owww que lindo, aceito sim.

Maicon: então, me espera lá na sorveteria que estou indo.

Theo: esta bem, mas você paga né?

Maicon: ok pago. hehehehe

Bateram o telefone e Maicon deu um sorrisinho.

RESIDENÇIA FAMILIA MATARAZZO

Ricardo chegou em casa acompanhado por Gabriela, estava com um curativo no braço. Zélia e André estavam vendo TV

Zélia: filho o que houve com você?

Ricardo: o banco foi assaltado e eu acabei levando um tiro.

Gabriela: é pra mim salvar, agora devo minha vida a esse cara, me chamo Gabriela.

Gabriela estendeu a mão a Zélia e a André que retribuíram

Zélia: mas filho, você poderia ter morrido, como esta o seu braço, o que o medico falou?

Gabriela: não se preocupe senhora, ele vai ficar bem a bala passou de raspão, bem já vou indo, obrigado por me salvar mais uma vez.

Zélia: vai não fica, venha vocês devem ter passado por um susto e tanto, Ricardo leve sua amiga pra lanchar com você, fiz torta de chocolate.

Gabriela: bem eu não ia aceitar, mas pegou meu ponto fraco, torta de chocolate eu amo. Aceito sim.

Ricardo: que bom, então vamos?

Gabriela: vamos.

Ricardo e Gabriela seguiram-se para a cozinha e Ricardo serviu torta e suco para Gabriela que começaram a comer.

Gabriela: então herói, ta se sentindo bem mesmo?

Ricardo: estou sim, mocinha indefesa, hehehe

Gabriela: olha pra isso já esta se achando, kkkkkk

Continuaram a comer e involuntariamente com a mão Ricardo limpou a bochecha de Gabriela que havia se melada de bolo, ambos ficaram constrangidos e Ricardo retirou a mão do rosto de Gabriela.

Ricardo: desculpe.

Gabriela: não, não foi nada, melhor eu ir.

Ricardo: espera, tome esse é meu telefone.

Ricardo anotou o numero no papel e entregou a Gabriela. Olharam-se nos olhos enquanto o papel saia da mão de Ricardo em direção a mão de Gabriela. Em seguida Gabriela saiu e Ricardo foi se deitar.

RESIDENÇIA DE DEISE

Carol se vestiu rápido, agora que se deu conta do que fez.

Carol: Deise, não podíamos ter feito isso.

Deise: por quê?

Carol: sou sua aluna, você é minha professora, isso não pode acontecer, não deve se repetir.

Carol saiu da casa de Deise sem esperar uma resposta.

RESIDENCIA FAMILIA MORÃO

O carro da policia chegou na casa de Meire, os vizinhos estavam na porta da casa tentando entrar.

Policial: o que esta acontecendo?

Vizinho: ouvimos barulho de tiro e ninguém esta atendendo a porta.

Igor: tiro?

Igor se jogou contra a casa e tentava abrir a porta, chorando e gritando para a mãe. Mas ninguém respondia.

Rafael: abram logo a porta.

O Delegado arrombou a porta e entrou, não deixou nem Igor e Rafael entrarem, depois de um tempo ele voltou, olhou para Igor e falou.

Delegado: você é filho dela?

Igor: sim, por quê? O que houve? Cadê a minha mãe?

Delegado: eu sinto muito, ele esta morta

Parte 5:

Igor desmaiou no chão e foi pego por Rafael que os levou para dentro do carro e voltou.

Rafael: e os meninos?

Delegado: não tinha ninguém lá dentro mais.

Rafael: nem uma das duas crianças e o Joaquim?

Delegado: provavelmente ele fugiu e levou as crianças, vamos investigar o que houve. Pegar testemunhas e tal, mantenho vocês informados, agora precisa tirar ele daqui, ele vai ter que ser forte.

Rafael: foi minha culpa, minha culpa.

Daniel: não filho, não foi, você fez o que pode.

Rafael: era pra eu ter ouvido o Igor, ele não queria deixar a mãe sozinha, eu não deveria ter trazido ele aqui, na minha ansiedade de tentar mudar os pensamento das pessoas acabei matando elas.

Rafael começou a chorar e se juntou a Igor no carro. Suas lagrimas caíram no rosto do namorado.

RESIDÊNCIA FAMILIA ROCHA

Pedro estava sozinho na casa, tomava banho de piscina, quando ouviu tocarem a campanhia, atendeu ainda de sunga. Era Breno, que estava de calça e camisa abotoada.

Pedro: oi gostoso

Breno entrou e deu um tapa na bunda de Pedro e se beijaram.

Pedro: antes de pagar, o que descobriu?

Breno: noticia quente, o Leo chegou em casa acompanhado de Matoquente.

Pedro: Matoquente? Isso é nome de gente?

Breno: é um chefe de boca da região, perigosíssimo.

Pedro: então o Leo esta envolvido em drogas.

Breno: é

Pedro: hum... Bom saber.

Pedro olhou nos olhos de Breno e o beijou calorosamente, e puxou pela camisa ate o lado da piscina. Enquanto se beijavam as mãos dos dois percorria o corpo musculoso um do outro. Breno era mais forte, Pedro apalpava o pau duro de Breno por cima da calça e a retirou. E também a camisa, agora os dois estavam se sunga esfregando os corpos um no outro, Pedro jogou Breno na piscina e começou a beijar o corpo de rapaz que tinha uma cara bem safada.

Pedro: quero essa pica toda na minha boca.

Breno: então vem.

Breno se deitou em uma bóia-cama e Pedro em pe na piscina retirou a cueca de Breno e saiu um pau molhado e gostoso, estava já babando. Pedro segurou firme e começou a bater uma punheta em Breno

Breno: “ahhhh, Pedro”

Pedro colocou o pau na boca e cuspia nele e sugava todo o cuspe, batia o pau de Breno no rosto e voltava a chupar ate o fundo da garganta.

Breno: “ohhhh, ahhhh”

Breno segurava os cabelos de Pedro o forçando a chupá-lo.

Pedro fazia direitinho, lambia a cabeça, os ovos, as cozas de Breno dava pequenas dentadas e voltava a punhetar o pau de Breno que delirava. Breno saiu do bóia e levou Pedro ate a beira da piscina. E tirou a sunga de Pedro e colocou o pau na boca e chupou.

Pedro: “ahhh” “ahhh”

Pedro escorregava a mão pelos músculos definidos de Pedro.

Breno: quer te comer agora.

Breno saiu da piscina e levou Pedro ate à cadeira próximo a piscina e colocou Pedro em pe com um perna em cima da cadeira e meteu com tudo

Breno: “ahhh” que cuzinho gostoso.

Sussurrava no ouvido de Pedro, que gritava de excitação.

Pedro: mete tudo vai meu macho, come tudo vai gostoso.

Breno metia numa velocidade incrível e segurava Pedro com seu braço musculoso, Pedro estava pressionado entre o pau de Breno e o braço. Breno metia de uma forma que Pedro poderia voar a qualquer minuto.

Pedro: “ahhhhhh”

Pedro se masturbava e Breno bombeava forte de mais, segurou Pedro pela cintura e continuou a meter, Pedro gemia muito. Breno retirou o pau e deitou-se na cadeira, Pedro se posicionou e desceu de vez no pau de Breno que fazia uma cara de prazer delicioso, Pedro se curvou e beijou Breno que começou a meter bem forte, rápido e fundo. Pedro colocou as mãos na cabeça e rebolava no pau de Breno. Breno começou a masturbar Pedro que estava se sentido no auge e gemia forte e agüentava tudo sem reclamar.

Pedro: “aiii vou gozar gostoso”

Pedro gozou e sua porra caiu na barriga de Breno, seu cu piscava a pica do rapaz que delirava, continuou a meter bem fundo, e deu uma metida tão fundo que Pedro gozou de novo. Pedro saiu do pau de Breno que retirou a camisinha e começou a se masturbar enquanto Pedro lábia a barriga de tanquinho de Breno sugando toda a porra que ele derramou.

Breno: “ ahhhh, ahhh, vou gozar, ohhh ohh”

Pedro colocou a boca no pau de Breno que gozou litros na boca do rapaz, em seguida se beijaram dividindo a porra, Pedro pegou tudo de volta da boca de Breno e engoliu e voltou a chupar o pau mole de Breno por uns minutos.

Pedro: vem, vamos tomar um banho e deitarmos na cama.

Pedro deu a mão a Breno e foram pro quarto.

----------------------------

A tarde passou rápido e a noite chegou bem fria

-------------------------------

RESIDENCIA FAMILIA ROCHA

Pedro estava deitado na cama mais Breno.

Pedro: você sabe onde fica essa boca de Matoquente?

Breno: ouvi boatos, mas não sei ao certo.

Pedro: continue seguindo o leo e descubra.

Breno: esta bem.

Pedro: você vai dormir aqui hoje.

Breno: por que

Pedro: por que estava com saudades desse corpo gostoso.

Pedro subiu em cima de Breno e o beijou.

SORVETERIA

Maicon foi chegando na sorveteria e viu Theo lá, deu um sorriso e se aproximou colocando a mao nos olhos de Theo por trás.

Theo: para Maicon sei que é você.

Maicon: como adivinhou?

Theo: hora bobo. Ta fazendo frio, acho que não foi uma boa idéia vimos tomar sorvete.

Maicon: é parece que não, vamos tomar outra coisas, por que você esta tão lindo combinando com a lua que seria um desperdício não curtimos essa noite.

Theo olhou vermelho para Maicon.

GOIAS

Bruno e Guilherme estavam deitados no quarto, quando ouviu o tio de Bruno chama-lo, Bruno desceu para atender.

Bruno: o que foi tio?

O tio de Bruno estava chorando, ele entendeu e começou a chorar também.

Tio: Sua mãe, ela piorou, tem 10 dias de vida.

Bruno: não tio, nãooooooooo.

Tio: só dar para viajarmos daqui a 1 semana, faltando três dias para ela.

Bruno: quero ir agora, ela é minha mãe, quero ir agora.

Bruno subiu correndo para o quarto, os pais de Guilherme mandaram o filho  vê-lo e ele foi, entrando no quarto Guilherme abraçou Bruno bem apertado, deitou na cama, Bruno começou a chorar no peito de Guilherme que alisava a cabeça do namorado.

SORVETERIA

Maicon e Theo estavam lanchando.

Maicon: quer dizer que foi com você que Fernando deu o primeiro beijo?

Theo: sim, comigo, mas não conta a ele que eu avisei.

Maicon:ok... Er... Theo você já namorou alguém?

Theo ficou serio olhou para Maicon.

Maicon: desculpe, não é da minha conta

Theo: tudo bem, não nunca namorei ninguém, O beijo que eu dei a dois anos em Fernando, foi um 1° e único ate hoje.

Maicon: tem medo de se relacionar com alguém?

Theo: não, é que, não achei a pessoa certa.

Maicon: Uma pena, você é muito legal.

Theo: brigado, acho que vou embora, parece que vai chover.

Maicon: a chuva já deve estar chegando-E Saíram.

RESIDENÇIA FAMILIA MATARAZZO

Ricardo esta dormindo no quarto, e estava sonhando, no sonho ele estava numa praia.

Ricardo andava na praia e quando chegava perto do mar, ele via duas mulheres vindo em sua direção, uma era tonia e a outra Gabriela.

Tonia: me perdoa meu amor, venha para mim.

Gabriela: Ricardo, ela não te merece, ela estava te usado e vai usar de novo, ame alguém que te ame de verdade.

Depois mais gente foi chegando na praia: Fernando, Zélia, Amanda, André, Theo, Maicon e pessoas desconhecidas. Todos falavam.

Todos: faça a escolha certa.

Ricardo acordou com o braço doendo e se lembrou de Gabriela abaixada com ele no banco durante o assalto.

Parte 6:

---------------------

O dia amanheceu

---------------------

ESCOLA CONVIVENDO E APREDENDO

Mesmo com o braço ferido Ricardo foi para a escola, ao entrar pelo portão, viu Tonia conversando com Maicon, Tonia se virou para vê-lo, seus olhos se fixaram um no outro. Ricardo queria correr para aqueles braços, mas resistia, não perdoaria tonia. Nunca.

Ricardo andou em direção a Carol que estava sentada sozinha no jardim.

Ricardo: oi carol, tudo bem?

Carol: tudo ricky e você?

Ricardo: vou indo, porque essa cara?

Carol: Não conte a ninguém, mais eu e a professora Deise, nos fizemos sexo, não podia acontecer.

Ricardo: nossa? Você sente algo por ela?

Carol: sim, eu estou me apaixonando por ela, isso não pode acontecer.

Ricardo: Muita coisa vem acontecendo em nossas vidas né?

Carol: sim, nosso grupo se desintegrou, só  eu e você agora, o Leo nos abandonou, A Marilia...

Ricardo se levantou e abraçou carol, que estava quase chorando.

ESCOLA CONVIVENDO E APREDENDO

Carol estava indo ao armário pega os livros quando encontrou a professora vindo em seu caminho. Carol tentou fugir, mas Deise a segurou.

Deise: Por favor Carol, não fuja de mim.

Carol: não quero mais te ver Deise, não podemos continuar, eu iria te prejudicar, você é minha professora.

Deise: ninguém precisa saber, eu te amo.

Carol: a aula vai começar

Carol olhou nos olhos da professora e saiu.

ESCOLA CONVIVENDO E APRDENDO

Estava já na ultima aula, Fernando e Maicon estavam sentados juntos.

Fernando: então o que fez ontem à noite?

Maicon: eu sai com o Theo, ele me chamou para sair.

Fernando: ele te chamou?

Maicon: sim, queria me contar coisas sobre você para eu poder te fazer mais feliz. Mas não conte nada a ele não viu? Ele me pediu segredo.

Fernando: ok, aquele Theo é um amigo de ouro.

RESIDENÇIA FAMILIA BRANDÃO

Gabriel estava na casa de Rafael, tinha ido ver o amigo e soube do que aconteceu e foi falar com Igor.

Gabriel: cara, sei que depois daquela noite, não estamos mais próximos, mas pela consideração do que fomos, vim da meus pesares.

Igor: obrigado gabi.

Gabriel:  vou dizer a verdade ao Rafael, de que eu e o Miguel não estamos mais juntos

Igor tentou relutar, mas não conseguiu, Gabriel acabou falando tudo a Rafael.

Rafael: mas por que terminaram?

Gabriel: umas coisas que aconteceram, que eu ainda não quero falar esta bem?

Rafael: mas por que só veio me falar agora?

Gabriel: por que você sempre gostou de todos nos juntos, não queria te magoar.

Rafael: mas mentiu, e você, Miguel e o Igor sabem que odeio mentira, que me escondam as coisas.

ESCOLA CONVIVENDO E APRENDENDO

Antes de o sinal Bater a professora Deise, teve na sala de Ricardo e Carol sobre e os lembrou sobre o trabalho sobre homossexualidade. Ao saírem da sala, Carol e Ricardo conversaram.

Carol: estou no seu grupo né? Quem mais ta?

Ricardo: Infelizmente a tonia. Fale com ela para ir na minha casa amanha à tarde para pesquisarmos e ensaiarmos.

Carol: ok, não quer retirar ela do Grupo?

Ricardo: não, já este tudo certo, não gosto de desarrumar as coisas-e saiu

RESIDENCIA FAMILIA MATARAZZO

Ricardo estava sozinho em casa e bateram na porta. Ele atendeu. Era Gabriela

Ricardo: oi

Se abraçaram e ficaram abraçados por uns segundos.

Gabriela: vim ver como esta meu herói.

Ricardo: estou bem, entra. Veio aqui só para saber se estou bem?

Gabriel:Claro que nao,eu vim te contar que eu me apaixonei por você, e queria saber de voçe,e me desculpe pelo que vou fazer agora, mas eu preciso.

Gabriela segurou Ricardo forte e o beijou.

Continua...


Leia também
"O fim esta a chegar" há 6 horas

Alguma coisa na nossa casa não esta bem e eu já vi que tu pensas assim ...
joaodasneves Pensamentos 6


Calmaria das Horas há 8 horas

A vida me mostra um relógio... Luto contra o tempo. O tempo é longo mas...
a_j_cardiais Poesias 26


Prazeres Desalmados há 8 horas

Tem gente que só se apraz em ganhar dinheiro... Mas essa gente o que faz...
a_j_cardiais Sonetos 18


GRECO-ROMANO - Des-História Universal há 17 horas

GRECO-ROMANO Os deuses se confundem nas histórias Dos povos que se fun...
ricardoc Sonetos 8


John Owen - Hebreus 1 – Versos 1 e 2 – P4 há 19 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 6


John Owen - Hebreus 1 – Versos 1 e 2 – P3 há 19 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 7