Casada carente e o amigo

29 de Maio de 2014 vampira Contos 20403



Era uma noite de sábado e chovia muito, eu como sempre
estava solitária em casa, meu marido trabalha a noite e isso faz com que eu me
sinta sempre muito carente e solitária.



Lá pelas tantas da noite um amigo meu de infância me
telefonou dizendo que estava mal, pois seu dia tinha sido péssimo e me
perguntou se podia dar uma passada na minha casa pra conversar.



Eu disse que não seria de bom tom, pois meu marido não
estava em casa e que os vizinhos por serem linguarudos poderiam falar.



Mais lhe disse que eu poderia ir a sua casa, pois como
ele mora sozinho não haveria falatórios, claro desde que não houvesse problemas
pra ele é lógico.



Ele me disse que tudo bem, então tomei um banho  me arrumei e parti rumo a casa dele.



Confesso que eu não estava muito a fim de sair, mais
seria uma oportunidade de ver uma pessoa muito querida e poder ajuda lá.



Assim que cheguei na casa dele, ele veio todo triste
abrir o portão, nos abraçamos como fazíamos em nossa infância e fomos para a
sua casa.



Eu lhe perguntei o que tinha acontecido e ele me disse
que eram os mesmos problemas de sempre, ou seja, sua ex-mulher, as crianças e a
atual namorada, que por sinal eu nunca conheci.



Ele me perguntou se eu gostaria de assistir um filme com
ele, achei uma ótima ideia já que eu estava ali mesmo, sem contar que assim ele
esqueceria um pouco os problemas, e  o
outra coisa eu ia ficar mais uma noite sozinha em minha casa mesmo.



Bem eu fui à sala escolher o filme e ele foi tomar um
banho porque havia acabado de chegar do seu trabalho.



Ele me gritou do banheiro, anjo tem refrigerante na
geladeira, vinho, sei lá vê o que você quer beber que pedimos pizza.



Beleza foi o que eu disse, gostei de ouvir ele me chamar
de anjo, ele sempre me chamou assim.



Enquanto eu fuçava na geladeira em busca de algo pra
beber, ele me apareceu pra minha surpresa sem camisa, enrolado na toalha, com o
corpo ainda molhado.



Uau! Quase tive um treco, senti na hora que minha buceta
estava toda molhadinha só de ver aquela cena ali bem na minha frente.



Lembrei-me de todas as histórias que eu havia escutado de
amigas minhas que tinham dado pra ele e do quando falavam do seu pau grande e
grosso, e de como ele sugava suas bucetas enquanto faziam sexo.



Não sei se foi a minha cara que me denunciou, sei que me
virei mais que rapidamente pra geladeira e perguntei qual filme ele gostaria de
assistir, quando me viro novamente ele estava ali parado atrás de mim, me
olhando dos pés a cabeça.



Sem dizer nada ele simplesmente retirou a toalha, fechou
a porta da geladeira e me puxou com toda a força pelo quadril, e nos beijamos
como loucos ali mesmo.



Ele me puxou com tanta força pela cintura que aquilo
teria doído se eu não tivesse com tanto tesão.



Lambemos-nos, e cheiramos como animais no cio, ele
deslizava suas mãos macias pela minha cintura sugeria,  desce las apertava meus seios por cima da minha blusa.



Estávamos grudados um no outro aos beijos, eu podia
sentir seu pau pulsando, roçando na minha buceta enquanto nos esfregávamos
feito loucos um no outro.



Grudada na cintura dele aos beijos fui levada até o seu
quarto, assim que entramos ele puxou meu vestido com tanta violência, que
aquilo teria me chocado se eu não estivesse tão excitada.



Foi com força que ele me jogou na cama, saiu dos meus
lábios, abrindo minhas pernas e caiu de boca na minha buceta, chupando tão
gostoso, enquanto eu gemia e fala, assim... oohhh chupa ela assim....



Ele  chupava meu
grelo, descendo rápido e lambendo meu cú enquanto os seus dedos, brincavam com
minha buceta me masturbando, me deixando mais louca de tesão, doida pra sentir
aquele pau enorme dentro de mim.



Oohhh! Por favor pare eu implorei, mais ele não quis
saber continuou me fodendo com as mãos e a língua até que eu gozasse, chamando
seu nome, pedindo pra que ele me fode se, pois eu queria muito ser fodida.



Assim que gozei, me joguei por cima dele e cai de boca
naquele pau duro e enorme, uma verdadeira 
maravilha.



Ele sussurrava;



Aaahh!! Que boquinha mais macia, anda sua filha da puta,
vadia, vai engole tudo.



Suas mãos puxavam meus cabelos enquanto ele socava com
força, aquele pau duro enorme em minha boca que lambia a cabeça, chupava suas
bolas, eu ia passando a língua e lambendo até o seu cú.



Nossa uma delícia mesmo!



Engole ele  gostoso
sua vaca, huuuummm! Assim anda deixa eu foder a sua boca , hummm!



Eu o cheirava e lambia seu pau como uma louca, dizendo,
vai goza pra mim, vai me dá o seu leitinho dá.



Hummm, vou tomar tudinho vai, me fode!



Desta forma ele gozou em minha boca, hummm! Delícia, bebi
todo o seu leitinho e comecei a lamber seu pau, que pra minha surpresa ainda
estava muito duro.



Louca de tesão sentei com força de costas pra ele naquela maravilha e
cavalguei como uma selvagem, enquanto ele me dava tapas e puxava meus cabelos.



Oooohh! Assim, vai me fode, come sua  putinha come?



Do nada ele me virou e me deixou de quatro e sem dó
enfiou seu pau grosso no meu cú, hummm! Fui ao delírio!



Enquanto me fodia como uma cadela, ele masturbava meu
grelo com seus dedos mágicos, fui ao êxtase com isso.



Gozei pelo rabo, hummm! Maravilhosamente.



Quando vi que ele ia gozar virei e coloquei aquele pau
gostoso em minha boca e mais uma vez tomei todo o seu leitinho.



Assim mortos de cansaço ficamos abraçados em sua cama.



Hoje somos mais que amigos de infância, ele é meu amante
e como vocês podem ver sou muito bem comida.




Leia também
Minha essência é a eternidade. há menos de 1 hora

Manhã cinza dia tão estranho e ruim, Paira no ar uma sensação de fraca...
elisergio Sonetos 5


LAMPEJOS há 1 hora

LAMPEJOS Eu pouco a pouco volto à realidade. Ao acordar, lamento antes...
ricardoc Sonetos 4


Deixe Esse Amor Crescer há 16 horas

Deixe esse amor crescer... Ele está brotando em um coração árido. De...
a_j_cardiais Sonetos 32


Ás palavras não são mais meu legado. há 17 horas

Fiz-me silenciar por que te perdi! Tu me revogara a licença concedida, D...
elisergio Sonetos 7


Não há o que comemorar. há 17 horas

Não há de fato o que comemorar! A virgem do sertão não é independente...
elisergio Sonetos 6


A vida depois daqui! há 17 horas

Ver que a morte não é o fim, é o início! Disse-me com amor chamando de...
elisergio Sonetos 6