Coincidências

13 de Junho de 2014 robson aguiar Contos 852

Acreditar em coincidêcias eu nunca acreditei, acho que tudo que acontece na vida de cada um de nós já foi traçado a muito tempo atrás, por quem? Não sei, porém o destino as vezes nos força a acreditar no contrário, acreditar que existem sim coincidências ao longo de nossas vidas. A estória de seu manoel, josé e mario é uma dessas coincidências que realmente são coincidências. Seu manoel, dono de uma padaria, ou melhor, uma boutique de pão como costumava chamar conheceu o josé em um dia ensolarado, uma quinta feira que prometia ser das melhores para os negócios de seu manoel. A padaria desde cedo tinha um movimento além do normal, naquele dia seu manoel iria faturar alto, além do que faturava sempre as quintas feiras, se todos os dias fossem assim, seu manoel já teria realizado seu sonho. Quando chegou ao Brasil, tencionava ficar rico, juntar um bom dinheiro e retornar a sua terra natal, Portugal. Logo no inicio parecia que tudo sairia como planejado, estava ganhando um bom dinheiro, guardava quase tudo, juntava as economias que podia até ser assaltado e ver seu sonho ficar bem mais distante. Na quinta o josé, que passava por um mau momento em sua vida, perdera o emprego, era contador de uma empresa a vários anos, vivia com a mulher e dois filhos, comprara a pouco tempo um carro, sonho antigo, gastara todas as economias, não contara em casa que perdera seu emprego. O josé saia todos os dias para trabalhar, como sempre fazia, andava, perambulava pelas ruas procurando emprego, procurando uma solução, resolver um problema e voltar a viver normalmente. Dia após dia saia na esperança de conseguir novamente manter sua família, como sempre fez, tinha vergonha e não queria contar a sua esposa o acontecido. Seis meses se passaram, as economias estavam acabando, estava desesperado, o que poderia fazer? Teve naquele dia a infeliz idéia de assaltar a padaria que se localizava, ao lado do local onde tomava sempre o café da manhã, observara o movimento, conseguiria com o assalto passar mais algum tempo a procurar um lugar para trabalhar, faria aquilo só uma vez, era por uma boa causa. Resolveu ao sair na quinta feira que tudo aconteceria naquele dia, saiu com o seu automovel, beijou a sua esposa, como fazia todas as manhã e rumou para realizar o assalto a padaria de seu manoel, parou o carro em frente a padaria, aquele, não sabia o luis, era o dia perfeito, seu manoel sonhava com dias feito aquele, faturava naquela manhã o que faturava em uma semana, juntando todas as manhãs. O josé manteve o carro ligado, retornaria e precisava sair dalí o mais rápido possivel, entrou na padaria e colocou o revolver apontado para a cabeça do seu manoel, tremia, pedia desculpas a toda hora, falava que seria a primeira e a ultima vez que teria aquela atitude, mas precisava realizar aquilo. Parecia ter tido sucesso, seu manoel lhe entregou tudo que arrecadara naquele dia e o josé saira rápido, como desejara, da padaria, tudo estava dando certo, correu para o carro e pasmém, o carro não estava no lugar em que ele estacionara, alguém roubara o seu carro enquanto realizava o assalto. Fugira indignado, era um absurdo, aquele bairro não tinha segurança alguma. Tinha resolvido um problema, porém seu carro, seu sonho tinha sido roubado por um anônimo chamado mario. O josé ficou indignado e tomou uma decisão aquilo não poderia ficar assim, guardou o dinheiro que conseguira na padaria e rumou para a delegacia com o intuito de fazer um boletim de ocorrência, comunicar que havia sido roubado. Ao chegar a delegacia deu de cara com seu manoel, que comunicava a policia que havia sido assaltado, olhando para ele o dono da padaria o reconheceu e o apontpou como o autor do assalto a sua padaria, terminava alí a vida de crimes de josé, vida criminosa que estava começando, sua família iria agora ficar sabendo da verdade,. Seu manoel conseguira reaver seu dinheiro e o mário ficou com o sonho de josé, já repassara este sonho para outtra pessoa e indiferente ao acontecido resolvera o porblema de seu manoel.


Leia também
Lembra? há 6 horas

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 9


Principio há 6 horas

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 8


Viandar há 6 horas

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 7


Fluxo do tempo. há 6 horas

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 9


Sou há 6 horas

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 8


Ame...! há 6 horas

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 6