CAMINHO SUAVE

17 de Agosto de 2011 ivanlimasp Crônicas 1471

Hoje estava lembrando de minha alegria quando tinha apenas 7 anos e fui pela primeira vez à escola. Lá no interior do Paraná, em Ivaiporã, na escola Idália Rocha recém inaugurada, comecei a dar meus primeiros passos em direção ao saber. Lembro-me que vestia um guarda-pó branquinho, calças curtas, levava o material numa bolsa à tira-colo com o desenho da Branca de Neve e os sete anões e na lancheira sempre um pedaço de pão com manteiga e o delicioso leite com açucar queimado que minha mãe carinhosamente preparava.
Na escola, antes de entrar para a sala de aula, formávamos filas e em posição de sentido aprendíamos a cantar o hino nacional brasileiro. Em algumas ocasiões cantávamos também outros hinos cívicos. Lembro-me da minha primeira professora, dona Ivonzete, a quem minha prima e colega de classe Meire insistia em chamar de dona Fonsete. Foi a dona Ivonzete quem me ensinou as primeiras letras e, para tanto, usava a cartilha Caminho Suave. Recordo-me bem dessa cartilha porque sua capa era muito bonita, tinha uma bela estrada com um céu azul ensolarado, um menino e uma menina caminhando por aquela estrada limpa margeada por uma grama verdinha e uma árvore florida, e ao fundo a tão apreciada escola. Aquela gravura fazia-me sentir bem e com a certeza de que minha vida seguiria aquele caminho suave.
Realmente aprendi a ler e escrever de maneira suave e prazerosa através daquela cartilha, cujo título era inspirador, mas quando olho minha vida e tudo o que já passei, o caminho que percorri, percebo que o caminho nunca foi suave e talvez por isso mesmo eu ache que a vida vale a pena ser vivida. O grande escritor campineiro Rubem Alves publicou um livro cujo título é "Ostra Feliz Não Faz Pérola". O que ele quer dizer em seu livro é que alguém que não enfrenta dificuldades e não sofre dores nesta vida não cria nada, não produz nada de valor. Se a estrada da minha vida fosse uma "free-way" maravilhosamente asfaltada, sem buracos nem obstáculos, talvez eu não desse tanto valor à ela quando dou. A vida só tem graça porque no caminho existem percalços, deslizes, trepidações que nos obrigam a ficar atentos e a tomar decisões de parar, seguir, diminuir ou aumentar a velocidade em determinados trechos. Muitas vezes até precisamos ser rebocados para sairmos de algum atoleiro e é aí que contamos com a solidariedade das pessoas que nos cercam, porque no caminho nunca estamos sozinhos. Morei no estado de Rondônia por vários anos e viajei muito pela BR 364. Era uma calamidade cada vez que saía para uma viagem, fosse no sentido sul, rumo à Cuiabá ou no sentido norte rumo à capital Porto Velho. Havia trechos em que um automóvel cabia quase inteiro dentro dos buracos que se formavam ao longo da pista. Uma viagem que normalmente se faria em 6 ou 8 horas numa estrada em bom estado, era feita em 12 ou 14 horas, mas sempre o final da viagem era comemorado com muita alegria, com aquele sentimento de ter feito algo especial, de ter vencido uma batalha. Ninguém comemora o fim de uma viagem tranquila numa estrada perfeita. É por isso que os ralis automobilísticos e outros esportes radicais despertam tanto interesse em algumas pessoas que sentem necessidade de vencer desafios e obstáculos. Essa é a diferença, é o que dá sabor à vida; o vencer as dificuldades pelo caminho.
Ao chegarmos neste mundo não nos é entregue uma cartilha, ainda bem, porque com certeza não teria o título Caminho Suave e se fosse entregue uma com algum título do tipo Caminho Árduo certamente não nos inspiraria a viver. Por isso, sempre que penso na minha existência, penso que ela tem o seu valor porque em meio a tantas adversidades do caminho tenho vencido e estou aqui, olhando para frente e imaginando que chegará um dia em que trilharei o caminho suave, e nesse dia já terei vencido todas as batalhas e terei fabricado uma linda pérola.

visite www.ivanlimasp.blogspot.com

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
ETERNAL (rondó) há 1 hora

ETERNAL (rondó) Não o poeta, sim a poesia Em cada verso haveria- De ...
ricardoc Poesias 5


Sintomático há 6 horas

Divagando pela favela, penso nela olhando a aquarela do sol se pondo. ...
a_j_cardiais Sonetos 26


"Minha humilde casinha" há 2 dias

Tenho na minha casa Quatro cadeiras e um colchão Uma mesa, e roupas pelo...
joaodasneves Poesias 18


Se Poema For Oração há 2 dias

Senhor, este poeta perdido vem Vos fazer um pedido: dai-me Vossa paz. ...
a_j_cardiais Poesias 66


"Bailei com a solidão" há 2 dias

"Bailei com a solidão" A beira do mar espero a Solidão E escuto ja o ...
joaodasneves Acrósticos 16


Perseverar Até o Fim – Parte 1 há 2 dias

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 31