ALEGRIA DE VIVER

17 de Agosto de 2011 ivanlimasp Crônicas 1523

Minha vida sempre foi pautada por momentos alegres e tristes numa alternância de altos e baixos como uma montanha russa de parque de diversões. Não muito diferente da vida de milhões de pessoas neste vasto mundo. Porém, esse universo de pessoas às quais me assemelho diminui sensivelmente quando utilizo um outro comparativo. Sempre procurei ver o lado bom da vida, sem reclamar das derrotas, comemorando as vitórias e não dando tanta importância para as adversidades.
Vou destacar alguns momentos, coisas que eu adorava fazer em cada fase, com os quais me deleito quando estou sozinho pensando na vida:

Na infância:
• Jogar futebol no campinho de terra em dia de chuva
• Rolar da montanha de pó-de-serra e cair no riacho
• Apanhar ameixas no pé sem a permissão do vizinho
• Engraxar os sapatos de meu avô pra ganhar uns trocados
• Ir às matinês de domingo assistir filmes do Mazaroppi
• Brincar de mocinho e bandido com revólveres feitos de madeira
• Colher e comer amoras e ficar com o rosto e a camisa manchados
• Fazer e empinar “papagaios” ou “pipas” até o sol se por
• Ir com meu pai e o nosso perdigueiro caçar perdizes na mata
• Tomar o leite com açúcar queimado que minha mãe colocava na lancheira
• Dançar quadrilha nas festas juninas da escola
• Desfilar orgulhoso no 7 de setembro

Na adolescência:
• Passar o sábado inteiro no clube jogando futebol, brincando na piscina e tomando “vaca preta”
• Ouvir música no quarto com o volume no máximo
• Tomar banho quente de quase uma hora com a mãe reclamando na porta
• Vestir aquela roupa nova, passar perfume e ir pra festa dançar de rosto colado com aquela gatinha
• Ir ao cinema 5 vezes seguidas assistir Grease para ver a Olívia Newton John
• Sair dos “embalos de sábado à noite” e passar numa padaria para comer pão saindo do forno cheiroso e quentinho
• Passear na avenida principal da cidade com mais 4 amigos no carro e com o som muito alto
• Adulterar a idade na carteira de estudante para assistir a filmes proibidos
• Ficar vermelho ao encontrar a “garota especial” no corredor do colégio
• Desenhar um coração com meu nome e o dela em todos os lugares(carteiras da escola, calçadas, árvores, portas de banheiros)
• Dançar nas pistas das discotecas imitando o John Travolta
• Matar aulas e ficar namorando no banco da praça

Na juventude:
• Namorar na sala de estar da casa da garota e tomar sustos a cada abertura da porta
• Viajar sozinho nas férias
• Pegar carona às margens das rodovias
• Dar amassos no portão
• Andar à pé de madrugada pelas ruas da cidade
• Ir às festas em casas de pessoas desconhecidas e beber cuba-libre e ponche
• Levar de presente dentro do ônibus um grande urso de pelúcia no dia dos namorados sem se importar com os olhares desaprovadores
• Namorar no carro em lugares escuros
• Brincar carnaval com lança-perfume
• Passar a noite ao redor de uma fogueira contando e ouvindo histórias, piadas e cantando
• Ir dormir na casa do amigo e passar a noite conversando
• Ouvir o disco dos Bee Gees várias vezes seguidas

No casamento:
• Sair no meio da festa afobado pra viajar em lua-de-mel
• Viajar de fusca pra Santa Catarina
• Passar a lua-de-mel numa praia paradisíaca
• Começar a vida-à-dois e descobrir um milhão de diferenças
• Fazer planos para uma vida inteira
• Não conseguir acordar para discutir a relação na madrugada
• Festejar a chegada do primeiro filho
• Festejar a chegada do segundo filho
• Festejar a chegada do terceiro filho e desistir de ter uma filha
• Jantar fora sem motivo especial
• Piqueniques em família à beira de riachos
• Almoços de domingo na casa da sogra
• Audições de piano todo ano, por vários anos
• Formaturas de pré
• Mostrar o mar para os garotos
• Ver os garotos tornarem-se rapazes

No pós-casamento aos 40:
• Voltar a dançar nos bailes de rosto colado e curtir flash-backs anos 70
• Paquerar mulheres maduras e charmosas
• Namorar uma mulher madura e charmosa
• Morar sozinho
• Visitar os filhos e sair juntos na noite
• Comprar presentes para mim mesmo sem sentir culpa
• Cantar em videokês até de madrugada
• Tomar capuccino no fim de uma noitada
• Conversar com pessoas interessantes à mesa de um bar
• Viajar sem levar tanta bagagem
• Receber a visita dos filhos
• Ir aos bailes da terceira idade e sentir-me um garoto
• Assistir quantos jogos quiser do time do coração
• Ver os filhos tornarem-se homens

É claro que esta lista poderia ser infinitamente maior, mas o que exponho aqui são apenas algumas coisas que me vieram à cabeça e que fizeram e fazem a minha alegria de viver.

11/06/08

Visite www.ivanlimasp.blogspot.com

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
"A decadência" há 2 horas

Numa decadência sem fim. não paro de cair. Esta tudo muito escuro aqui,...
joaodasneves Poesias 7


"A Parede" há 2 horas

Esta parede que nos separa Tem que cair, assim falaremos de ti de mim Olh...
joaodasneves Pensamentos 5


John Owen - Hebreus 1 – Verso 3 – P4 há 12 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Mensagens 6


John Owen - Hebreus 1 – Verso 3 – P3 há 12 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 8


John Owen - Hebreus 1 – Verso 3 – P2 há 12 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 6


John Owen - Hebreus 1 – Verso 3 – P1 há 12 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Mensagens 6