O amor dói, deixa
marcas, mordidas e unhadas. É, o amor dói sim. 
Vejo seus olhos brilharem de amor e de contentamento. Acaricio-te com
cuidado, mas você não tem dó de mim, me machuca, me maltrata. Sei que não é
culpa sua, ainda não aprendeu a controlar o seu amor, às vezes tão doce e
carinhoso e outras vezes agressivo e quase cruel. Mesmo assim eu te amo, mesmo
assim te protejo e cuido de você, porque sei que um dia você vai crescer e essa
chama que te incita ao ardor da violência e crueldade apagará e só sobrará o
amor incondicional que sei que me devota, sobrará esse amor e a mansidão de
todos os gatos crescidos que não veem mais a necessidade de brincadeiras tão
cruéis e doloridas com sua mãe que te ama tanto.


Porque ter um filhote em casa é um amor dolorido que deixa
marcas.