As armas sempre exerceram um certo fascínio sobre as pessoas. Enfim, elas
significam o poder, o domínio. E entre a criançada esse fascínio é bem maior.
Pode parecer que não, mas o que mais uma criança sonha é ser poderosa e
respeitada. Não é à toa que elas querem ser super-heróis: força, poder,
respeito, admiração... É por isso que muitas delas, quando são perguntadas o
que querem ser quando crescerem, respondem sempre: policiais, bombeiros,
artistas...  Reparem bem: poder, coragem
e fama.



Imaginem as crianças de certas periferias, que o “exemplo” vivo que elas
têm de poder, coragem e fama são os marginais. Elas veem a toda hora eles circulando
armados e impondo o poder... Veem as pessoas “respeitosamente” bajulando os
chefes das quadrilhas... Elas não assistem os policiais circulando armados e
mostrando poder. E quando assistem alguma coisa sobre policiais na televisão, é
o repórter martelando e mostrando manifestações contra policiais que, no
exercício de suas funções, alvejaram algum inocente. A criança, eu sei que não
sabe. Mas um repórter, acho que deve saber que um policial é gente. E,
portanto, está sujeito a cometer falhas. Um policial também está sujeito a
medos, inseguranças e preocupações... O repórter também deve saber que o
policial tem mulher, filhos e vontade de continuar vivendo, apesar de todos os
dias sair para uma batalha, sem saber se vai voltar.



A imprensa, certas horas, coloca o policial como um marginal. E o pior: fica
alardeando. Nós sabemos que em TODOS os segmentos da SOCIEDADE existem os bons
e os maus exemplos. Mas a criança, coitada, não sabe de nada... O que vocês
acham que elas vão querer ser quando crescerem?



A.J. Cardiais

05.01.2011