"O Diabo submeteu Padre Pio à tentações em todos os sentidos.

Padre Agostino confirmou que o diabo apareceu a ele de diferentes formas:

"O diabo apareceu como meninas jovens que dançavam nuas, em forma de crucifixo, como um jovem amigo dos monges, como o Pai Espiritual, como o Padre Provinciano, como Papa Pio X, como o Anjo da Guarda, como São Francisco e como Nossa Senhora.

O diabo também apareceu nas suas formas horríveis, com um exército de espíritos infernais.

Às vezes não havia nenhuma aparição, mas Padre Pio estava ferido, ele era torturado com barulhos ensurdecedores, cuspido etc. Padre Pio teve sucesso livrando-se destas agressões ao invocar o nome de Jesus.

As lutas entre Padre Pio e Satanás ficaram mais duras quando Padre Pio livrou as almas possuídas pelo Diabo.

Mais de uma vez, falou ao Padre Tarcísio de Cervinara que, antes de ser exorcizado, o Diabo gritava:

"Padre Pio você nos dá mais preocupação que São Michael" e também:

"Padre Pio, não aliene as almas de nós e nós não o molestaremos".


Vejamos como o Padre Pio descreveu nas cartas que enviou aos seus diretores espirituais, as agressões do Diabo.


Carta para Padre Agostino, de 18 de janeiro de 1912. -

"... O Barba Azul não quer ser derrotado.

" Ele chegou a mim assumindo todas as formas.

Durante vários dias, vem visitar-me com seus espíritos infernais armados com bastões de ferros e pedras.

O pior é que eles vêm com os seus próprios semblantes.

Várias vezes eles me tiraram da cama e me arrastaram pelo quarto.

Mas Jesus, Nossa Senhora, o Anjo da Guarda, São José e São Francisco estão freqüentemente comigo."