Um chamado interior

Anita era uma profissional de sucesso.

Morena lindíssima, vivia bajulada por todos.

Tinha pais amorosos e um marido encantador.

Dispunha de tudo que se podia almejar, menos paz de espírito.

Uma profunda insatisfação dominava-lhe e fazia desinteressar-se
por tudo. Era com grande apatia que lidava com suas responsabilidades
e com as pessoas queridas.

Naquela tarde vagava pela rua extremamente amargurada.
Sem perceber entrou por uma alameda de um parque.

Caminhou até a beira de um lago e parou.
Aquele era um lugar mágico,
as flores disputavam beleza e espaço ao redor de sua margem.

Não sei se atraída por um chamado interior ou tocada pela beleza do local, ajoelhou-se à grama com os olhos em lágrimas e começou a orar.

- Deus, mostra-me Tua força, indiques um caminho que me traga de volta a alegria.

Para seu espanto, uma nuvem branca surgiu do nada e dentro dela a imagem de Deus.

- Com que triste quadro me deparo. Tens tudo e não és feliz.
Te tornaste tal qual obra de arte, belíssima, mas desprovida de vida.

Uma bela estampa a envolver uma alma vazia.

"O que fizeste dos talentos que te confiei?

Reclamas de tudo mas nada fazes para ninguém.

Tratas a todos como coadjuvantes de tua bela vida.

"Procuraste as conquistas da matéria e esqueceste das conquistas
do teu interior. Nunca abriste o coração aos que te cercavam.

"Se queres agora amparo, Meu coração de Pai te dará.
Contudo, primeiro te condeno a que te tornes gente, a te fazeres útil e a retribuir o que te foi dado em abundância.

Suavize teu coração tornando-o vivo e pulsante de amor.

"Se bem cumprires a condenação, teu coração se tornará um campo
de paz e terás de volta a alegria de viver.

"Nunca esqueças, a quem muito foi dado muito será pedido.

"Quem busca realização somente nas coisas materiais,
transforma seu coração em pedra, quem busca a elevação espiritual,

transforma as pedras do caminho em solo macio,
pronto para fazer germinar a semente do amor em sua vida."