O CHIFRE TARDA, MAS APONTA

Jane morava em sua cidade natal, no interior de São Paulo, apesar de ter sido criada e se formado na capital.
Trabalhava em uma firma de componentes eletrônicos de seu padrinho e namorava há 10 meses com Giba um rapaz da mesma idade companheiro de trabalho.
Apesar do tempo de namoro e a intenção de noivar, Jane ainda não havia apresentado Giba a seus pais, Fábio e Fabiana. E foi em um final de semana prolongado que o encontro aconteceu. Era inicio da tarde de sábado, quando chegou Jane acompanhada de Giba e seus pais, Carlos e Clarice, e logo que entraram na sala e se encontraram com os pais de Jane, algo aconteceu, um pequeno desconforto geral quebrado pela empregada que chegou com uma jarra de suco.
A conversa rolou durante algum tempo, Jane e Giba falaram sobre suas intenções, seus pais se convenceram, até que mãe de Giba, Clarice meio aflita tomou a palavra:
___ Vejam só, o que vou falar é muito importante, espero não ser interrompida por ninguém até eu terminar. Primeiro quero pedir perdão ao meu marido por isto, mas vocês não podem se casar, vocês são irmãos, e nem mesmo o Fábio sabia disto, desculpe, mas eu e Fábio tivemos um caso extra conjugal.
O clima pesou, mas todos na sala sabiam que não era hora de discussão, foi quando Fabiana (mãe de Jane) levantou olhou bem para os olhos de cada um e disse:
___ Jamais imaginei ter sido triada pelo meu marido, agora eu também vou revelar algo que ninguém nesta sala pode imaginar, sei que Jane e Giba se amam muito e digo que vocês podem noivar e casar.
___ Mas como? Se os dois são irmãos. Perguntou Fabio.
___ Simples meu marido, eu também tive um caso fora do casamento, e Jane é fruto deste caso, o pai de Jane é Carlos!
Apesar de todo aquele clima, Jane e Giba se abraçaram e beijaram felizes pela traição ter sido dupla.