O ESTRANHO CRIME DE BALTHAZAR

03 de Fevereiro de 2012 wagner silveira Crônicas 764

Ele queria matá-la.Não agüentava mais suas andanças e seu zumzumzum.
Durante muito tempo tolerou seu jeito de se ser, aqui e ali, de galho em galho. De flor em flor, sempre com a desculpa de que estava trabalhando, mas o que todo mundo sabia era que mais se divertia.
Tentou sublimar, esquecê-la, mas não havia jeito de tirá-la da cabeça.Era linda e graciosa, seu corpinho, piquititinho, era marca registrada da sua família.
Sabia que ela gostava de se lambuzar nos prazeres da vida, e o que é pior, lambuzava os outros por aí, e isso o deixava possesso, já que em sua louca paixão, não queria dividi-la com ninguém.
Arquitetou um plano diabólico, desses que a gente só vê nos filmes pré-históricos do Hitchcock, e girou a engrenagem do destino para executá-lo.
Tinha que seqüestrá-la, trazê-la para seu domínio, e depois se não conquistasse seu coração...Meu Deus!Teria que matá-la!
Executou a primeira parte do ardil com perfeição digna de um James Stewart.Seu irmão havia lhe ensinado algumas técnicas criminosas, e de fato não foi tão difícil subtraí-la.A coitada estava chegando do trabalho com suas amigas, quando...Zápt!, foi sacada de sua rotina e jogada no que à princípio lhe pareceu ser um veiculo, devido ao intenso movimento, mas que depois revelou-se seu próprio cativeiro.
Ele estava radiante, pois até aquele momento, todas as suas tentativas de conquista haviam sido infrutíferas.Mas agora, ela estava em suas mãos.
Aproximou-se para contemplar sua presa, seu troféu.Seu coração batia descompassado de tanta ansiedade, suas mãos suavam e sua boca salivava sem parar de tanta excitação.Tentou se comunicar, falar alguma coisa para tentar agradá-la, mas não obteve nenhuma resposta.
O trauma do seqüestro fora muito grande, e a coitadinha estava jogada, fraca e amedrontada.Não nutria esperanças de escapar dali.Tudo tinha sido muito rápido e certamente suas amigas não conseguiriam detalhar o crime para as autoridades.Estava perdida.
Num primeiro momento, ver aquilo o deixou satisfeitíssimo, pois seu crime havia sido realmente perfeito.Roubara para si umas das mais belas criaturas da face da Terra, só para seu deleite, e não legaria a ninguém o direito de usufruí-la.
Só que algum tempo depois, seu egoísmo foi cedendo lugar a um sentimento de culpa horroroso, que fez com que sua barriga embrulhasse e ele se contorcesse de tanta dor.Isso, mais o medo de ser descoberto, atenuavam sua obstinação doentia.
O rostinho dela, triste, choroso.Seu corpinho amuado, o brilho nos seus olhos se apagando.
Percebeu que havia ido longe demais para voltar atrás.Era um criminoso agora e não podia esmorecer.Mas olhava novamente para ela, indefesa e à espera do pior, e amolecia.Toda a valentia sumia e ficava apenas o rascunho dum baita dum cagão.
Ficou por um bom tempo assim, até que lá da cozinha veio sua sentença:
-Balthazar!Eu já não te falei pra não ficar maltratando os bichinhos?Solta logo esse daí ou eu vou até aí te dar umas lapadas!
Não ofereceu resistência.Girou a tampa de rosca do pote de vidro e a deixou sair.Uma pequena e desconfiada abelhinha zanzou um pouquinho, mas logo alçou vôo, pronta para aprontar mais ainda daqui pra frente, pois percebeu que a vida é uma só e que a dela quase foi para o vinagrete.
Naquela mesma noite, Balthazar recebeu a visita dos irmãos dela, o que não foi nada agradável...


Leia também
A Linha da Vida há menos de 1 hora

O futuro é daqui a pouco, mas talvez não possamos vê-lo. A vida é com...
a_j_cardiais Poesias 23


Obedecendo o Vento há 14 horas

As folhas caem, e eu quero falar sobre isso, sem me preocupar com o feiti...
a_j_cardiais Poesias 36


"Verão na Europa" há 17 horas

Hoje começou o verão Mas todos os dias, são dias de verão O verão na...
joaodasneves Poesias 7


"Maria Emília" há 18 horas

Meu amor Antes de tu nasceres Raramente eu pensava em ti Iria com o pass...
joaodasneves Acrósticos 8


"Sou" há 19 horas

Sou o livro sem palavras Sou a historia por contar Sou o céu sem estre...
joaodasneves Acrósticos 8


"Livro sem letras" há 21 horas

Meus livros já estão sem letras Meu papel sem cor Com a caneta vazia Q...
joaodasneves Poesias 9