Pria grandi, çabadu, 2 di cetembru di 20x1

“Uu dia ista nubradu e bunitu”....oji a fessora pidiu...

Ok, ok.

Vamos falar sério agora, que está quase na hora do recreio e eu adoro polenta com carne moída.
O negócio é o seguinte:A professora pediu pra gente fazer uma redação e eu ia começar a minha tentando entender porque a Tia Patrícia chega na escola tão feliz todo dia, já que eu descobri essa semana o quanto ela ganha por mês para aturar 50 anjinhos por oito horas todo dia, e a conclusão que eu cheguei é que ela deve ter algum
problema na cabeça, coitada.
E aí me perguntei:Como é que eu vou fazer uma redação, se eu nem sei ler direito ainda, graças a uma tal de "Progressão continuada", que me jogou aqui na 5º série, sem a mínima noção do meu querido idioma.
Não sei as vogais, nas consoantes empaco no M...N...O...P...?
Não aprendi a soletrar e nem separar sílabas.
Óxitonas, paróxitonas e proparóxitonas me esperam e isso me aterroriza, pois acho que não estou preparado para encará-las.
Ignoro quem seja o sujeito, se ele é oculto, simples, composto ou indisposto.Predicado verbal, nominal ou animal.Socorro!!!Lá vem a preposição.
Hiato, ditongo, tritongo, elipse, verdadeiro e falso cognato.Semãntica, onomatopéia (Pan!) e gramática.
Não sei se vou conseguir.Chove dentro da minha classe e meus lápis estão acabando.O ônibus que trazia a gente pra escola, quebrou e ninguém arrumou.O pneu da minha bicicleta furou.Meu pai foi embora e minha mãe foi trabalhar.Tenho que olhar meus irmãos.
E eu só tenho 10 anos.
E como é que eu escrevi tudo isso?
Tio, para de querer saber de tudo.
"O conhecimento mata"
(O nome da Rosa - Umberto Eco)