Mesmo sendo algo de extrema intimidade e preservação em tempos remotos, o sexo, renegado pelo conservadorismo, foi inevitavelmente banalizado. Antes, os beijos eram só às escondidas, fugindo dos olhares ostensivos dos pais. Não faz tanto tempo. Nem um século. O certo mesmo, diria um antigo, é só depois do casamento. “Que pouca vergonha! Filha minha é moça séria”.
Não só o sexo, cujo beijo renegado transformou-se em vídeos pornográficos na internet, mas os paradigmas tendem a se quebrar com o tempo. Assim segue a dialética comportamental. Os valores são outros. Os interesses, no entanto, são basicamente os mesmos.