Peixes

08 de Março de 2012 Luiz Zahar Crônicas 709

Lá fora o sol está brilhando mas para as suas mãos, mergulhadas nas vísceras dos peixes, ainda é inverno. Estica o peixe sobre o mármore, abre a barriga, arranca as tripas, corta a cabeça, abre a coluna, delicadamente extrai a carne das finas espinhas, num tique bate com a faca na pedra e raspa a pele de onde extrai uma carne branca e úmida. Mais um peixe.
O movimento em volta não pertuba, o mundo é o peixe, suas mão são sugadas pelo trabalho, sua mente se esvazia num momento zen.
Estaria a eternidade aprisionada na rotina dos gestos impensados?
Chega a lula, sua atenção se volta momentaneamente à freguesia, seus olhos buscam contato com o mundo lá fora e recomeça a sua meditação: corta os tentáculos, joga na pedra, puxa os olhos com as vísceras, chão, mete o dedo no corpo do bicho e lava os restos de órgãos internos, entra água, sai a areia, corta os anéis com a precisão de um samurai.
Seu João não sabe mas suas mãos ensinam a sabedoria dos mestres.


Leia também
"Feliz...dia...de...São João" ... há 3 horas

Quem dera ir mais além, cantar mais alto Sobre esse chão salgado onde na...
joaodasneves Poesias 4


No Vento da Literatura há 4 horas

Gosto da poesia quando chega de surpresa... Pode não ter beleza, mas q...
a_j_cardiais Poesias 27


Bendito Amor Eterno há 1 dia

Quando pensamos que Jesus disse que todo aquele que lhe foi dado pelo Pai, ...
kuryos Artigos 11


"Vendo" há 1 dia

Hoje vendo um corpo sem alma, e um extrovertido coração partido, uma ...
joaodasneves Acrósticos 7


"Te amo vinho tinto" há 1 dia

Tu meu querido vinho tinto, és e serás a minha inspiração, Ter o cop...
joaodasneves Poesias 9


Gradeados há 1 dia

O céu está logo ali, depois dessa janela enjaulada... Meu amor é qua...
a_j_cardiais Poesias 60