Eu vejo cada amanhecer, sinto o vento a me tocar, e ele é o meu companheiro na tentativa de não me entregar, de fraquejar.
Há momentos que bate um desespero, uma vontade de ligar, de gritar, de ir ao encontro, mas aí chega a racionalidade fantasiada dele, e vou me acalmando, respirando.
Sou um babaca por depender tanto dele! Ele me prende, me faz perder grandes oportunidades, no entanto, são nos braços dele que desabafo, onde despejo todas as minhas lágrimas. E ele me compreende, me acalenta.
Apesar dele ser misterioso e às vezes inconveniente, eu sou completamente fascinado por ele, na verdade sou viciado em estar com ele. E ele? Ele adora minha companhia, parece até que nascemos para construir uma história juntos.
A nossa relação é perfeita, nunca nos demos mal. E assumo que nos momentos mais difíceis e até mesmo felizes, é sempre a procura dele que eu vou. Me torno mais confiante ao lado dele.
Nunca enjoaremos um do outro.
Ele é a melhor resposta para muitos questionamentos feitos ao meu respeito, acredite. Com ele aprendi a ignorar, a desprezar.
Sim, somos amantes, porém jamais levantamos suspeitas que mantínhamos algo tão intenso e radical simultaneamente.
E, não duvide que eu sou absolutamente apaixonado por ele. Eu necessito dele para lidar com grandes problemas ou pessoas, e por incrível que pareça, ele não falha, ele nunca me abandonou.
Silêncio, eu te amo e não há nada que eu faça, que seja suficiente para retribuir tudo o que tens feito por mim.
Sem você, Silêncio, minha vida seria ainda mais complicada.
Obrigado.