Jurandir: Negro, alto, bom de briga (aprendeu artes marciais sozinho), manipulava um "muthaco" (Não sei o nome. São dois pedaços de pau presos nas extremidades por uma correntinha) com uma habilidade enorme. Tinha não sei quantos filhos. Todos com mulheres diferentes. Também o cara, além de ensinar dança afro nos blocos, tinha uma bela estampa, um bom papo e um sorriso que não tinha mulher que aguentasse. Financeiramente vivia de bicos: pedreiro, pintor... O que pintasse.

Um dia ele me contou que saiu com uma mulher, e logo começou os "amassos"... Na hora que a coisa estava esquentando, ele lembou que não tinha dinheiro pro motel... E agora, o que fazer? foi aí que a mulher, doida pra chegar aos "finalmente", resolveu ir para uma casa que ela ainda estava arrumando para morar. Na casa, só tinha de móveis algumas cadeiras. Mas tinha o principal, os lençóis. Ela forrou o chão e "mandaram ver"... Ele sentou a madeira.

Quando acabou os "finalmente", na hora de dormir, quem disse que ele dormiu no chão? Aí eu perguntei: E você dormiu onde? Ele me respondeu: Peguei as cadeiras, juntei e dormi. Eu ia dormir no chão nada... E se na casa tivesse carangogi? Eu tenho um medo retado que aquele bicho entre em meu ouvido.

Obs. Carangogi é um animalzinho parecendo uma cobra, mas é cheio de perninhas. Quando tocamos nele, ele se enrosca todo e exala o fedor enorme. Parece inofensivo.

A. J. Cardiais