Meu último comentário, prometo, a respeito do carnaval.Não é uma invenção nossa, mas dizem que é o maior do mundo; pelo menos e o único que tem o samba como protagonista;em Veneza, disse um amigo meu, só as crianças se fantasiam.
O brasileiro é tido como povo cordial, alegre e descontraído; não deixa de ser verdade; nao ouço falar de carnaval na Suécia, embora exista em Colônia, Alemanha; é uma tradiçao medieval.
Apesar de tudo que foi dito, não acredito que somos um povo pacífico e esses eventos extravasam também a violência intrínseca que possuímos, como povo essencialmente latino, herdeiro da Roma antiga, onde eventos como esse existiam, haja vista as saturnais, as bacanais, em hora, respectivamente a Saturno e Baco.Agora , o reducionismo das tvês de dizerem que é apenas uma festa da "alegria", é simplificar demais as coisas.Claro que ela existe e tomara que predomine; fui observar in loco, e tenho no bairro facilidade para isso; para mim é mais uma temeridade.Antes a cidade ficava vazia e era um alívio, pois toda a confusão ia às praias, onde ficava a "alegria"; a praia e o campo; outro mito romântico em que acreditamos, se não fossem os especuladores imobilários e os comerciantes.
Por isso só faço as coisas com calma, longe de grandes eventos; o brasileiro aproveita o carnaval para colocar sua alegria e também todas as suas raivas para fora, coisa que gente pacífica como eu não aprecia muito; não critico quem goste;não é o meu caso; é uma especie de felicidade intensa, cheia de emoções, própria do brasileiro.