Pelo amor por amor

30 de Agosto de 2013 Trors Crônicas 524

Talvez que não veja mais o que achava que via, talvez eu não sinta o que achava que sentia, talvez eu não vivo mais o que achava que vivia, talvez eu não escreva o que eu achava que escrevia. Talvez eu não seja o que eu achava que era.
O caminho que eu percorri até chegar aqui talvez não seja o mesmo que eu faça pra voltar. O que me faz ser o que sou? O que me faz ser?
O ar que respirei ontem hoje não está mais aqui. O coração que antes batia em dó, hoje bate em ré.
É possível o bater das asas de uma borboleta fazer um vendaval? É possível que o bater da calda de um golfinho na água faça uma onda?
Pelo amor? Por amor. A flor aonde que nasce em um deserto? Aonde que se planta o rancor no amor?
Não sei nada mais além do nada.


Leia também
PLEONÁSTICO n°2 há 17 horas

PLEONÁSTICO n°2 Encarasse de frente, não soslaio... Talvez, olhos no...
ricardoc Sonetos 4


ANTIFACISTA há 19 horas

ANTIFACISTA De irrestível apelo aquela união De fortes se fazendo 'in...
ricardoc Sonetos 5


A rua me aceita como sou há 21 horas

A rua me aceita como sou (Livro Poesias Reflexivas- Antonio Ferreira) N...
pfantonio Poesias 56


Não seja superficial há 22 horas

Não seja superficial (Antonio Ferreira-Livro Poesias Reflexivas) Olhe ...
pfantonio Poesias 71


"Dia do amor" há 1 dia

Amanhã é o dia reservado ao Amor, E a fragrância das flores confunde-s...
joaodasneves Poesias 13


"Estou triste" há 1 dia

A noite se instala em mim. Lá fora, apenas o silêncio da noite e o teu o...
joaodasneves Poesias 14