Fui um andarilho perambulando numa linha reta nessa estrada que chamam de vida. Cansei de sempre andar reto. No lugar de enfrentar os obstáculos do caminho preferi fazer meu próprio caminho, fazendo minhas curvas. Acolhi a solidão como uma velha amiga e então decidimos andar juntos nessa trilha que construí. Após um tempo construindo meu próprio caminho percebi que partes de mim se desfaziam no caminho. Preferi deixar minhas partes ali mesmo. Afim de ver se alguém seguia minha trilha. Após um tempo quem me acolherá foi a escuridão. Não havia mais luz, ninguém além de nós três estava ali. Ninguém seguia meus rastros. Não havia mais esperanças. E foi ai que está maldita também me acolheu.