Esse tipo de amor

02 de Setembro de 2013 Ali Vezoli Crônicas 717

O tipo de amor que você me fez sentir foi aquele amor que tira até a fome. Esse tipo de amor é aquele que dá insônia e a gente acaba por culpar a quantidade desenfreada de café ingerida no dia a dia. Tem até direito a friozinhos na barriga e sensação de que as pernas são feitas de gelatina. Esse tipo de amor é aquele que se é bem cuidado, dura a vida inteira. Só que são poucos os que têm essa sorte, e no meu caso, eu não tive. Então, esse tipo de amor, para mim, é aquele amor pesado em que apenas uma pessoa estava disposta a carregar. Desabou. Nem teve a chance de começar e você soltou ladeira a baixo.
Era mês de março. Eu estava seguindo novos caminhos na minha vida e prometendo que nada daria errado, que nada me derrubaria. Você surgiu em um desses caminhos. Você disse olá e sorriu. Hei, ele tem sorriso de criança. Foi aí que eu decidi seguir o seu caminho. Sim, simples dessa maneira. Foi tudo rápido e eu juro que eu não acreditava em amor a primeira vista.
Eu dei um jeito de começar uma conversa contigo. Eu nunca fui boa nessa coisa toda de conquista e pra falar a verdade eu nem sabia o que estava fazendo, mas eu fiz. Os dias passavam e a gente se tornava mais próximos. A cada passo que eu andava para mais perto de ti, eu sentia que estava começando a queimar, o problema é que eu sempre fui atraída pelo perigo e eu não tinha medo de me destruir por amor.
Você sempre foi uma incógnita que eu jamais vou conseguir resolver. Você vai ser sempre aquele que me desarma e tira todas as minhas forças apenas com um olhar. Aí eu me recolho num canto, porque eu morro de medo de não ser suficiente.
Para de me olhar assim. Para de me conquistar se você não quer que eu fique, você não vai ficar. Sei lá, eu meio que me perdi no caminho e agora não sei como voltar. Você tá lá no final da estrada e tá seguindo em frente. Eu fiquei, no meio do inverno, sem saber qual lado é o certo. É covardia olhar assim nos meus olhos e você sabe que é o único que consegue ver dentro deles. Você sabe que é o único que arranca minhas lágrimas com palavras. Eu sou tão sua que já nem controlo meus atos ou palavras ou qualquer movimento que possa me levar para longe. Eu juro que eu tento tira-lo da minha cabeça, do meu coração e de qualquer pedaço de mim que ame você. Só que você insiste em ficar impregnado em cada pedaço e em cada memória que contém dentro de mim.
Eu estive procurando por pessoas ou por qualquer coisa que me impedisse de lembrar você. Funcionou, juro. Só que você apareceu e eu te olhei e você sorriu. Aquele cara com quem eu saí poderia ter significado alguma coisa, mas havia você. O meu amor por você é tão grande que às vezes parece que vai explodir dentro do meu peito, então tem lugar pra mais ninguém.
Eu jurava que estava deixando esse sentimento ir, te deixando ir e me deixando livre. Só que outro dia você sorriu como uma criança e todas as minhas defesas saíram correndo e dizendo que você não oferece perigo algum. Só que elas se enganaram e mais uma vez me deixaram aqui, na sua frente, correndo perigo.
Era mês de março, você sorriu para mim e eu te deixei entrar no meu mundo bagunçado. Você fingiu que seria alguma coisa e quando eu olhei pra você, eu poderia jurar que eu vi algo no seu olhar. Eu cheguei perto demais, me queimei. Eu acabei em uma ponte escura, sozinha, peguei o caminho errado mais uma vez e estou em queda livre.
Eu tenho a impressão de que isso que eu sinto por você vai durar a vida toda. Pode ser que, algum dia, eu conheça alguém e ame de novo. Mas você vai continuar ali, no cantinho. E eu vou lembrar cada detalhe seu, de cada sorriso, de cada risada por algo tolo que algum de nós fez. Mesmo depois de muito tempo, eu vou sorrir quando lembrar seu sorriso. Eu também vou lembrar-me das lagrimas e de todos os meus tropeços por você. Eu vou te amar sempre, talvez não com a mesma intensidade, mas ainda assim vai ser amor.
Esse é aquele tipo de amor que eu vou estar sempre aqui, caso você precise de mim. É aquele tipo de amor de pessoas que são completamente opostas, mas ainda assim passariam por todas as diferenças. É aquele amor que poderia durar para sempre, mas você saiu correndo e me deixou segurando todo esse peso, sozinha.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Bem Lá No Fundo há menos de 1 hora

Eu caio, levanto, choro, canto... Me aborreço, entristeço. Me estresso...
a_j_cardiais Poesias 20


"Só sei que nada sei" há menos de 1 hora

Eu nada sei, Mas juro que te adorei, só sei que nada sei mas sei que t...
joaodasneves Mensagens 5


"Amiga virtual" há menos de 1 hora

Ainda não sei porque te tenho como amiga... as tuas letras são iguais a ...
joaodasneves Pensamentos 4


Moça bonita há 2 horas

Todo mundo tem aquela moça bonita na sua vida..Eu tenho... Moça bonit...
anjoeros Poesias 4


Uma cama , várias interpretações... há 2 horas

Boa noite! Para hoje o que temos,como sempre,é o amor...Mas, nesse texto f...
anjoeros Artigos 5


"Amor proibido" há 3 horas

Porque será que aguentamos em silêncio a ferida? Dissimulamos frente a t...
joaodasneves Pensamentos 5