OBLITERADO

16 de Setembro de 2013 Luciah Lopez Crônicas 621

OBLITERADO

A sombra percorre o subsolo
fundamentada na sua razão - exacerbada e circunspecta criatura,
caminha curvada na linha frágil,
tentando compreender seus rancores,
residos léxicos intensamente explorados
quando tenta convencer-se de que Deus existe.
Não obstante, sua alma imortal mergulha na inexatidão
e repugna toda e qualquer semi crença,
preferindo a obscura tirania que julga sem o menor pudor.
De que vale uma consciência ante o sofrimento
e a mesquinha falta de palavras
que o acorrenta e molesta-lhe o coração?
Em profundo infortúnio ele - a sombra, caminha
na clarividência insolente dos insatisfeitos,
adentrando cada vez mais na escuridão que perdoa os nossos
medos e calcifica os nossos ossos
numa planura de insignificantes lamentos.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
"Minha humilde casinha" há 1 dia

Tenho na minha casa Quatro cadeiras e um colchão Uma mesa, e roupas pelo...
joaodasneves Poesias 14


Se Poema For Oração há 2 dias

Senhor, este poeta perdido vem Vos fazer um pedido: dai-me Vossa paz. ...
a_j_cardiais Poesias 54


"Bailei com a solidão" há 2 dias

"Bailei com a solidão" A beira do mar espero a Solidão E escuto ja o ...
joaodasneves Acrósticos 13


Perseverar Até o Fim – Parte 1 há 2 dias

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 14


Perseverar Até o Fim – Parte 2 há 2 dias

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 10


Separação há 2 dias

Pensei que separação fosse fácil... Que fosse só deixar seu amor, e ...
a_j_cardiais Poesias 50