Simples, eu gosto bastante de uma garota, só que não tenho coragem de dizer isto a ela! E isso vem me destruindo, então decidi que iria convida-la para sair, e convidei-a para sair comigo no sábado passado, e para minha surpresa, ela aceitou!
Cheguei na casa dela ás 7 e ponto, mas antes tinha passado em alguns jardins que encontrei pelo caminho, e juntei ás flores mais lindas que eu podia conseguir, e fiz um belo buquê. Chegando na casa dela me dirigi a porta e apertei a campainha:
- Ding Dong
(Depois de um tempo esperando ansiosamente)
- Quem é?
- É o Paulo
- Que Paulo?
- O amigo da Vitória
- Há sim, ela já ta vindo.
Então esperei mais um pouco, sentei na calçada enquanto á esperava. Pouco tempo depois, ela estava lá, linda como sempre, seu longo cabelo castanho-escuro estava solto, e como sempre, ela estava usando uma franja que cobria metade do olho direito. Haaa, seus olhos, lindos e grandes olhos castanhos que realçam á beleza de sua pele morena. Então ela disse:
- Desculpa ai, pela demora, tava me ajeitando, sabe?
- Sei sim, tudo bem, esperei pouco.
- Então vamos logo né?
- Pera, antes deixa eu te entregar – até então estava segurando ás flores, entreguei para ela – Aqui, flores tão lindas quanto vo... – minha voz ficou presa no final, a vergonha era imensa!
- Nossa, muito obrigado, nunca recebi flores.
- Eu mesmo coletei elas.
- Sério, obrigado mesmo.
Isso me deixou bem feliz, achei que ela já estava apaixonada por mim, que pobre rapaz eu sou, sintam pena de mim.
Seguimos caminho até a lanchonete, perguntei o que ela queria, tratei ela do jeito mais cortês possível, tentei ser o mais romântico possível, ela repetiu várias vezes como eu era fofo, disso eu sei, todas me chamam de fofo.
No final, depois de muita conversa, eu achei que ela tivesse amado aquela noite, e esperava ir deixa-la em casa e conseguir o meu tão aclamado beijo. Se não fosse por um cara que já pegou todas as meninas da minha rua ter passado e oferecido carona para ela, eu talvez conseguisse o meu beijo. Queria ter deixado ela em casa, ela veio comigo, voltava comigo, mas aceitou ir com ele, nem fiquei tão triste, pelo menos não tinha ficado, até olhar para a mesa, e ver que ela tinha esquecido ás flores que juntei com tanto carinho, elas estavam lá, jogadas como se não fossem nada. Deu uma tremenda vontade de chorar, mas não chorei, decidi que não seria mais assim, e que iria mudar, já não é a primeira vez que sou trocado por um cara mais forte, mais interessante, mais canalha, mais galinha, mais burro... Bem, da próxima vez vou agir diferente.

Moral: Não adianta você ser romântico, carinhoso, elas sempre vão querer os caras maus.