Monólogo dos olhos

26 de Setembro de 2013 Bruce Alcântara Crônicas 2526

Os olhos?
Por mim o órgão mais esplendido do ser humano.
Herdado pelo meu avô, invejado por todos, cansado, escravo, amaldiçoado.
Ele simplesmente ver tudo e fala tudo, apenas com um olhar, você senti, ou ver o sentimento do seu próximo.
O único órgão que não podemos controlá-lo
Podemos mentir. Mas, ele sempre estará olhando para direita e esquerda para mostramos a nos a verdadeira face, Assim retiramos as escamas de nossas máscaras e verdadeiramente podemos assumir o falso Homem.
Na morte és o ultimo a morre, ele precisa ver quem o ferio para ter com ele sua vontade.
No amor és o primeiro a brilhar, depois vá ter com coração.
Na vida és o primeiro a chorar, para limpar a alma do jovem pecado.
No fogo és primeiro a se fechar! Por não querer-se queimar por pouca vida.
Assim será a sua plenitude aos finais de tarde sempre lagrimejar por ter sindo escolhido por Deus ao ver o por-do-sol , sempre ao Desejo de libertação divina ao fluxo de acordar , por novamente ser o primeiro a deleitar-se do que chamamos de vida.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Lembra? há 2 dias

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 21


Principio há 2 dias

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 13


Viandar há 2 dias

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 11


Fluxo do tempo. há 2 dias

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 14


Sou há 2 dias

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 12


Ame...! há 2 dias

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 11