O brilho quente do sol me abraçou hoje pela tarde enquanto eu dormia.
De repente, me senti aquecido por uma luz, por uma força que me transmitia paz, amor e segurança.
As cortinas da janela se batiam entre a parede enquanto a luz me tomava cada vez mais por dentro e eu senti todos os meus medos se esvanecer.
O sol me convidava para viver, a tomar para mim o meu destino, tornar-me de fato quem eu sou realmente.

E eu vi a vida entrar pela janela me dizendo “vem pra mim” e eu disse : sim.
Eu disse “sim” pros meus sonhos, eu disse “sim” pro mundo, eu disse “sim” pra mim e então eu senti um vento arrastando todos os meus medos para outro horizonte, bem distante daqui.
Eu vi o Universo se abrir pra mim com todo o seu infinito de amor e alegria. Eu vi a luz se abrir em meio ao caos dessa escuridão do mundo.
Eu me vi conquistando tudo que eu sempre quis ao me deixar aquecer pelo o infinito amor do Universo em minha alma escura e congelada.

E o crepúsculo me mostrou que tudo um dia tem um fim.
O meu sofrimento havia acabado como aquela manhã que dava o seu fim para que a linda tarde me abraçasse e à noite eu pudesse contemplar o brilho eterno das estrelas.
Como tudo que se move na Natureza, eu vi minha vida naquele céu cheio de cores se movendo como estações e eu vi que tudo passa e que há muito à viver e aprender, à plantar e colher, à conhecer e contemplar e mesmo depois de tantas mortes, há muito à celebrar nesse existir. E então o meu quarto já não estava mais escuro.
E em meu espírito, o dia se fez...