A Gradação dos Relacionamentos

15 de Outubro de 2013 Sol Crônicas 949

- Mas afinal de contas, vocês estão ou não namorando? - Perguntei, tentando manter parte da minha concentração no engarrafamento.

- Não. Não é bem namorar...

- Então, estão ficando? - Insisti, tentando entender ou mesmo classificar o tipo de relacionamento que minha filha vinha mantendo.

- Também não. Estamos mais que ficando. É mais que ficar.

   Neste instante acredito que o meu semblante se traduziu em um ponto de interrogação. Por ter trabalhado a minha vida toda com os adolescentes, aprendi muita coisa que pertence ao mundo enigmático desses seres que estão entre a vida adulta e a infância, oscilando perdidamente entre uma e outra. Entretanto, não estava conseguindo entender o tipo de relacionamento correspondente à “escala das representações sociais de relacionamentos amorosos” que tinha até então. Por ter compreendido minha expressão, sem necessidade de palavras, minha filha esforçou-se um pouco mais em sua explicação:

- É assim, mãe: é mais que ficar e menos que namorar, entendeu?

   Meu Deus! Colocaram um décimo de grau na já contubarda escala dos relacionamentos amororsos! Até não muito tempo, havia etapas bem definidas: amizade, namoro, noivado, casamento. Depois, criaram o "ficar" e, consequentemente, vieram os ficantes ou os joga-fora. Mais recentemente, para tudo ficar melhor definido, inventaram o "pegar", ponto imediatamente anterior ao ficar, e que muitas vezes serve para traduzir o fato de haver mais “intimidade” entre o casal com menor compromisso ainda que no ficar. 

   Hoje os adolescente e os jovens - e por que não incluir, entre os usuários da terminologia, os próprios adultos - ficam em seu primeiro contato; depois, se a “coisa” evoluir, pegam, antes de saber se querem mesmo assumir algo estável e namorar. Nada mais justo; é um ritual que testa o que os dois pretendentes sentem um pelo outro, ou testa o entrosamento sexual da nova parceria, ou ainda os dois. Mas agora, essa de mais um ponto na escala, entre o pegar, o ficar e o namorar, é para mim uma bela novidade!  Então, adiantei-me:

- Que nome vocês dão para isso que você está vivendo agora?

- Nome? Nome pra isso o que, mãe? - Questionou confusa.

- Assim,olhe, ficar é quando você vê uma vez ou mais vezes, sem quase compromisso; pegar é quando você é mais ‘íntimo’ de uma pessoa, sem nenhum compromisso; e a isso, que é mais que ficar ou pegar e ainda menos que namorar, como vocês chamam? É pós-ficar ou seria pré-namorar?

- Ah, mãe! Sei lá! Ainda não tem nome, não!

   Os jovens criam nomenclaturas e estágios "evolutivos" para seus relacionamentos amorosos em nome de uma liberdade que mascara, por ausência de oportunidades, a falta de práxis e experiências significaticas no campo da interação humana. Assim, entra em cena a liquidez amorosa, perdida em relacionamentos cada vez mais curtos, na gradação do que não se pode medir e na banalização dos sentimentos. Isso é um efeito da pós-modernidade e seus avanços tecnólógicos nos quais tudo é muito mais fluido. É a era digital, com relacionamentos digitais, virtuais e solitários. Interações de cristal, que se partem ao menor balanço do vento, pautadas em mídias sociais.

   Bem, a nós, que vivemos na modernidade líquida, mas não pertencemos a essa geração digital, resta lamentar e aprender a gradação, compreendendo, na medida do possível,  suas fulgazes relações na escala que tenta mensurar  os relacionamentos humanos. 

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Uma Tal Pedra há 15 horas

No meio do caminho de muitas famílias, agora tem uma pedra... Tem uma...
a_j_cardiais Poesias 22


Mundo da Gataria há 15 horas

Gato criado com mordomia, não conhece o mundo da gataria. Não sobe nos...
a_j_cardiais Infantil 44


A história do amor há 16 horas

A história do amor O amor sempre existiu Em muitas formas Em várias ...
pfantonio Poesias 30


AFRO-AMERICANO - Des-História Universal há 16 horas

AFRO-AMERICANO Terra da Liberdade, a Norte-América Tornou republicana ...
ricardoc Sonetos 8


"Primeiro encontro" há 21 horas

Olha, te recordas da primeira vez que eu te vi? não foi só pra me distr...
joaodasneves Mensagens 7


John Owen - Hebreus 1 - Versos 4 e 5 – P3 há 1 dia

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Mensagens 9