Senhor
juiz pare agora, o casamento... Essa música faz-me lembrar de um capítulo de
minha vida.
Aconteceu numa igreja da velha vila onde morei, faz anos, no tempo em que
amarrávamos cachorro com linguiça.
Estava eu em um casamento, de uma prima distante, ela parecia muito feliz,
entretanto no momento em que o padre perguntou se alguém tinha algo contra o
casamento, uma mulher desesperada disse: Eu tenho! Todos ficaram espantados com
tanta audácia. Aquela era apenas mais uma das inúmeras perguntas retóricas que
temos na vida. Entretanto aquela parecia ser diferente.
A mulher dizia ter um filho do noivo. Todos ficaram boquiabertos, era uma
desgraça, rio de lagrimas viu correr de minha querida prima.
Aquilo não podia passar de uma armação. Era apenas mais uma das muitas tentativas
de uma mulher desesperada atrás um noivo.
...
Cancelou-se o casamento. Cada um seguiu seu caminho, mas aquele fato ficou
marcado na história da velha vila em que vivi por anos de minha ilustre vida.