Meu umbigo e eu

13 de Dezembro de 2013 analidiaoa Crônicas 607

Eu nunca me achei normal ou estranha demais. O "demais" não me dava o consolo de que eu precisava para me desamarrar das ambiguidades de uma mente criativa. Ficar no meio termo é o achismo que me permite viajar pelas situações e buscar os meus porquês. 

Sou daquelas por quem passam os dias como cenas em telões laterais, e me atento à continuidade dos momentos como quem perpassa os cadarços pelos buraquinhos do All Star sem pestanejar.

Acontece que por frases repetidamente balbuciantes ninguém acostumado está. Aí me vejo a dar voltas e voltas sobre um mesmo modo de pensar e, mesmo depois de me dar por convencida, deito a cabeça sobre o travesseiro... E não sinto ter ido até o fim.

Mas por que eu deveria dar e tirar satisfações de facetas tão mais fúteis socialmente e não me deparar com o essencial, tão maior que eu, que isto? Foram tantas as vezes em que escutei que os problemas do meu umbigo são pormenores demais diante do mundão lá fora. É fato!

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Amor de Primavera há 12 horas

Morena, quando tu flores, o verbo em ti, primavera, seguirá o caminho do...
a_j_cardiais Poesias 34


CICATRIZES há 17 horas

CICATRIZES Não se vive essa vida impunemente... Todo mundo, mais dia m...
ricardoc Sonetos 5


" Amar é" há 1 dia

Amar e como voar, no mais azul dos céus. É sentir a sensaçao de estar n...
joaodasneves Poesias 11


PAU DE FITAS há 1 dia

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 8


Falta de Amor ao Próximo há 2 dias

A razão de viver é amar... Mas a maioria das pessoas vive o amor ao din...
a_j_cardiais Poesias 56


Amor a Deus x Amor ao Mundo há 2 dias

Nos dias do autor não havia automóveis como os luxuosos que existem em no...
kuryos Artigos 13