Confiança é material caro.É matéria-prima pro amor.

Confiança não se vende, por isso não se compra.Se tem, ou não.

Já a desconfiança é crime inafiançável…

É ofensa, desrespeito…uma luta desigual.

Quando não há confiança, romper é preciso.

O rompimento, neste caso, mantem todos respirando.Tudo segue.

Romper é uma morte?Sim, é.É um tipo de morte experimental:um ensaio da outra morte, talvez.

(…)

É isso o que começo agora: minha trajetória de morta-viva, dependendo do que chega pra mim…a cada meia hora um estado de espírito diferente.Isso mesmo!

Depois de sentir o cansaço de um maratonista, correndo entre subidas e descidas, me refaço.Paro pra descansar…descanso de morte? Sim. Ás vezes, é necessário morrer para poder viver, assim como as sementes.

Hoje estou semente.Amanhã serei flor.

Data original da publicação: 09quinta-feiraago 2012

Publicado por Qzia Carvalho em http://blogdaqzia.wordpress.com/2012/08/