A era dos descartáveis

17 de Janeiro de 2014 Qzia Carv Crônicas 956

Tarde ensolarada de sábado. Paramos para almoçar. Dentro do restaurante, alguém falou: “Hoje em dia quase não se vê guardanapos de panos…”. Eu logo retruquei:“É a era dos descartáveis…” Pronto! Bastou esta frase para começarmos uma longa conversa filosófica que permeou todo nosso almoço (aliás, uma conversa com muito sentido!).

Pare para pensar: sacolas, copos, pratos, guardanapos, talheres, jalecos, toalhas de mesa, aventais… Até celulares! E por aí vai uma vasta lista do gênero, tipo: mulheres, homens, maridos, esposas, amigos, líderes, cargos, funcionários, patrões, respeito… A nova onda é não acumular nada. Não acumule papel, não acumule lixo. É A ONDA DO ‘POLUA SEM SER POLUÍDO’ (como dizia a Irmã Baby Consuelo e o Sr. Pepeu). Uma utopia, afinal, como poluir sem ser poluído?Ás vezes falamos da natureza como algo distante de nós. Nós esquecemos que somos natureza. Então: Poluir a natureza=Nos poluirmos. Tudo bem… blá, blá, blá…

Voltando aos descartáveis, até os filhos estão des-car-tá-veis! Há quem não goste e jogue no lixo… Éééééé!

Vi num filme que casamento deveria vir como um contrato de experiência de seis meses. Caso gostassem do negócio, renovavam o contrato. Dá pra crer num negócio desses??!

Acho que o papo de descartáveis para facilitar a vida virou mensagem subliminar!Agora todo mundo entende que tudo no mundo é descartável (pra facilitar a vida, entende?). Não gostou, dispensa. Usou, joga fora. Para que acumular ‘lixo’, né?

Só que, benzinhooooo, você se esqueceu de um pequeno detalhe: um dia esse ‘lixo’ descartado, vai voltar para você de alguma forma. É assim na natureza, é assim na sociedade.Plantou, colheu! Não pense que isso sai barato e, no final é você quem paga a conta: a conta do analista, dos remédios, e tal…

Está na hora de pensar um pouquinho antes de qualquer decisão e não sair por aí consumindo desenfreadamente, pra depois jogar fora: nem coisa, nem gente!

Data priginal da publicação: 08quarta-feiraago 2012

Publicado por Qzia Carvalho em //blogdaqzia.wordpress.com/2012/08/page/2/

Deixe um comentário

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Lembra? há 2 dias

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 13


Principio há 2 dias

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 10


Viandar há 2 dias

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 10


Fluxo do tempo. há 2 dias

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 11


Sou há 2 dias

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 10


Ame...! há 2 dias

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 8