Essa semana eu estava
conversando com a minha tia e o assunto principal era homem, claro. Estávamos
falando como hoje em dia a palavra amor ficou banalizada. Que o homem no
terceiro ou quarto encontro, já vem falando todo querido: - Acho que te amo? Mas o que eu quero dizer é como
é fácil falar essa palavra, ela parece que perdeu o sentido, tudo está se
tornando sem valor. E a culpa é nossa, mulherada! Que ficamos a caça do
príncipe encantado, e acabamos caindo no primeiro trote do homem ideal. Que ele
vai chegar num cavalo branco nos colocar na garupa e nos fazer felizes para
sempre. Porém o que nós não enxergamos no primeiro momento é que o cavalo é um
burro velho e manco e aquele lindo príncipe que beijamos se transformou num
sapo gordo e vagabundo, que fica nas nossas costas como um parasita sugando
nossa beleza, energia e juventude. Claro, queridas leitoras, estou parecendo
uma velha ranzinza e rabugenta, não é todo homem que é assim, a cada dez, um
escapa. Brincadeirinha vamos aumentar para dois.