Aperta o verde. Vai sem medo. Aperta logo.

Aperta o verde e faz aquela ligação que você quer tanto fazer. Você já pegou o telefone e desistiu outras vezes, mas agora você deveria tentar. Aperta esse botão logo e dá uma guinada na sua vida, rapá.

Liga para o seu amigo que trabalha numa estatal do petróleo e pede aquele emprego prometido. Afinal, você já está de saco cheio desse seu emprego e não vê a hora de jogar tudo pro alto e ir numa nova empreitada.

Disca o número daquela escola que tem o curso de chef de cozinha que você sempre quis fazer e larga a administração. Isso nunca teve a sua cara. Larga a análise SWOT e os termos em inglês e vai fazer deliciosas massas italianas e “quebrar a língua” tentando falar o nome daquele prato francês que você viu na televisão.

Pressiona o botão call para aquele amor do passado. Vai que ela está solteira e você ainda tem uma chance de ser feliz. Pega esse telefone e faz uma chamada para aquela sua ex-namorada. O número dela você apagou da agenda, mas não do coração. Talvez ela esteja esperando do outro lado com medo de apertar o verde também.

Contate aquela pessoa que você magoou, mas que faz parte da sua vida. Põe no viva voz e escuta aquele tom rouco que há tempos você não ouve. Faz o telefone de alguém tocar e depois do alô diga que sente saudades. Chama para sair e marca um almoço naquele restaurante que vocês costumavam ir. Vai por mim, disca aí.

Liga lá e aproveita que a sua operadora ainda está com o sinal bom. Gasta aqueles créditos que você acumulou respondendo sim ao sms promocional daquela propaganda com o garoto ruivo e a Grazi Massafera. Seja vivo e diga oi para as oportunidades.

Aperta o verde sem medo e perceba que ele não está ali por acaso. O verde, para que tem fé, é esperança. Para quem está no trânsito é para continuar seguindo em frente. Dependendo da ótica, pode ser um começo ou um recomeço.

Eu acabei esse texto por aqui, mas você ainda tem muito pela frente. É só apertar o verde.