Fica aqui

17 de Setembro de 2011 Fernanda com F Ensaios 985

Senti o calor do verão. Era como o sol nascendo a centímetros de mim – deitada na grama e observando os pássaros dançarem. Esperava algo que não aparecia, não tinha jeito. Acordes de uma sinfonia. A cada momento em que fechava os olhos, sentia-os tais quais borboletas a bater forte as asas, arcoiresmente coloridas e graciosas – beijinhos de borboleta.

Decidi rolar na grama, deixá-la me embalar. Sem companhia ou comigo mesma, como preferir. A música parou. Deitei exausta e percebi que aquele trepidar das folhas-DJ não era em vão. Ouvi passos, mas quais? Cheiro de flor alguma, só o meu. Eu era a protagonista daquela fauna.

Simples toque de mãos. Para mim, tudo.

Tamanha sensação não sentira antes. Imaginava-a como o sol do verão que ia cobrindo os lírios vagarosamente; um sopro quente, atenuado por ligeiros calafrios. Era a mão dele sobre a minha.

Tamanha sensação não vivera antes. Breve brisa, respiração, toque.

Às vezes a vida nos faz dormir. Os sonhos, porém, continuam vivíssimos.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
PLEONÁSTICO n°2 há 13 horas

PLEONÁSTICO n°2 Encarasse de frente, não soslaio... Talvez, olhos no...
ricardoc Sonetos 4


ANTIFACISTA há 14 horas

ANTIFACISTA De irrestível apelo aquela união De fortes se fazendo 'in...
ricardoc Sonetos 4


A rua me aceita como sou há 17 horas

A rua me aceita como sou (Livro Poesias Reflexivas- Antonio Ferreira) N...
pfantonio Poesias 54


Não seja superficial há 18 horas

Não seja superficial (Antonio Ferreira-Livro Poesias Reflexivas) Olhe ...
pfantonio Poesias 70


"Dia do amor" há 21 horas

Amanhã é o dia reservado ao Amor, E a fragrância das flores confunde-s...
joaodasneves Poesias 12


"Estou triste" há 1 dia

A noite se instala em mim. Lá fora, apenas o silêncio da noite e o teu o...
joaodasneves Poesias 14