(...) Eu fui ao seu encontro e o abracei. Abracei da forma que todos os filhos deveriam abraçar seus pais, eu estava cheio de amor naquele momento, de amor pelo meu pai. - Eu te amo meu filho. Não duvide por um segundo.- Eu também o amo. Joguei os paus e as pedras no chão, estava totalmente desarmado, um alvo fácil pra qualquer inimigo, mas felizmente o inimigo me amava e eu me vi o amando também