E antes de mais nada, tem algumas coisas que você
precisa saber sobre mim; eu não forço sentimento. Não sorrio obrigado,
não amo obrigado, não odeio obrigado, não faço amizade obrigado. Eu me
recuso a ser obrigado a sentir. Se não quero, não sinto. Simples assim.
Você pode fazer o que quiser, me comprar presentes, me escrever poemas,
me cantar músicas, me ler livros, me encher de mimos, se eu não gosto de
você, eu não gosto de você. E se eu te der uma chance e você me
decepcionar, eu viro as costas mesmo, e você vira um borrão pra mim.
Algo que algum dia já teve contorno definido, mas que perdeu a nitidez.
Se me fizer acreditar que não vale mais a pena, eu vou embora mesmo. Sou
assim. Pra mim é sempre tudo ou nada, a intensidade sempre foi uma das
minhas características mais pungentes. Eu não vou dizer “eu te amo” pra
te agradar. Nunca. Acostume-se com isso. Eu já me acostumei. Prezo pela
sinceridade. E se você também preza, formaremos uma bela equipe. Caso
contrário, meu bem, te aconselho a nem entrar no meu jogo.