HOMENAGEM À MULHER

No dia da mulher
20/03/2001
Mulher, és noite de lua cheia banhando-nos de luar. És essência da vida, raiz profunda cravada no chão. És dona do espaço, do tempo, do hoje e do amanhã. Outrora cerceada criando filhos, calada cuidavas do lar. Saías de casa em três ocasiões: para ser batizada, para casar-se e para ser sepultada.

Em 1888 um jornal da cidade de Desterro, na época capital de Santa Catarina, publicou dez mandamentos para as mulheres, um deles era: "Amai vosso marido sobre todas as coisas, não o atormentes com exigências, caprichos e mau humor."

Os homens detinham plenos poderes sobre suas vidas.

Índias, negras, brancas, ricas ou pobres, famosas ou anônimas, elas acabaram escrevendo a história do Brasil. Sempre que surgiram oportunidades, a mulher foi à luta, a exemplo das guerreiras: Maria Quitéria, Anita Garibaldi e Maria Bonita. Políticas, médicas, advogadas, atletas, artistas e beldades. O mundo avançou e libertou-as na casa, na cama e na vida. Liberdade conquistada através da tecnologia, pelas máquinas, substituindo o trabalho doméstico e pela descoberta da pílula anticoncepcional. O direito ao divórcio transformou-as em parceiras dos homens, e venceram o sentimento de culpa nascido na submissão. Perderam o medo de serem felizes.

Nos Estados Unidos, elas representam mais de 70% do contingente de trabalho em quaisquer atividades da sociedade e economia. Nos países em desenvolvimento, em comunidades remotas de mentalidade ainda retrógrada, muitas ainda sofrem o efeito do machismo e da violência, restando-lhes um árduo caminho para atingirem o estágio de direito que lhes cabe, principalmente quem as encoraje conquistá-lo. Detendo mais sensibilidade, enfrentam a adversidade com indulgência, contrárias à reação masculina, intolerante e insensível.

Nunca nos disseram, mas olham para os homens como meninos de calças compridas, esboçando o sorriso com graça, diante das iras inócuas. O senso de responsabilidade das mulheres é mais intenso, e seria ideal que assumissem a política nacional em todos os escalões, pois são menos suscetíveis à corrupção e ao conchavo.

Os homens cederam espaço, perderam a exclusividade e positivamente, hoje, torcem para que elas tenham êxito. No entanto, as mulheres deverão se preservar, mantendo-se encantadas na doce vocação, que inclusive gera-lhes superioridade, de serem mães e as melhores executivas na administração de um lar.Hoje, os homens se dão conta do tempo que perderam quando eram crianças e com suas mães terem aprendido mais, deixando de serem adultos carentes. Porém, elas não deverão exacerbar-se, senão provocarão retorno à era primitiva, quando trabalhavam e os homens apenas se preocupavam em caçar e pescar.

Mulher, és terra, és vida, és guerreira, és perfume no espaço. Teu dia também compõem-se de noite e que seja de lua cheia para que a renda do luar banhe o entardecer de uma primavera.

Odilon Fehlauer.